Câncer de Laringe: tabaco e álcool são os principais causadores


Tratamento inclui quimioterapia associada à radioterapia, além de cirurgia

Os homens são as principais vitimas do câncer de laringe, um dos mais comuns que ocorre na região da cabeça e pescoço. Representa cerca de 25% dos tumores malignos que acometem essa área e 2% de todas as doenças malignas. Pode se manifestar em qualquer uma das três porções em que está dividido o órgão: laringe supraglótica, glote e subglote. O tipo de câncer com maior prevalência, em mais de 90% dos pacientes, é o carcinoma epidermoide.
 
Os sintomas variam conforme a localização do tumor: aqueles localizados na região supraglótica causam dor de garganta; já a rouquidão indica tumor glótico ou subglótico. No câncer supraglótico pode haver ainda alteração na qualidade da voz,  leve dificuldade para engolir (disfagia) e a sensação de ter um "caroço" na garganta. Nas lesões avançadas das cordas vocais, além da rouquidão, podem ocorrer dor na garganta, disfagia e dispneia (dificuldade para respirar ou falta de ar).

A rouquidão é, no entanto, o sintoma mais persistente. Diferente daquela que se manifesta como consequência do esforço vocal ou da laringite fruto de resfriados e gripes, não vem acompanhada de febre ou dor, mas é progressiva. Se não houver tratamento logo na fase inicial, esta rouquidão pode evoluir para dor durante a deglutição e falta de ar. Na fase mais avançada, aparecem nódulos no pescoço.

Para diagnosticar este tipo de câncer é necessário uma biópsia. Quanto ao tratamento, dependerá do tipo de tumor encontrado, da localização e tamanho. O tratamento compreende cirurgia e quimioterapia associada à radioterapia. Como a maioria dos tipos de câncer, quanto mais cedo for detectado, maior é a possibilidade de tratamento, sem causar deformações físicas, e maior será também a chance de cura.

Conforme o caso, pode ser necessária a retirada total da laringe, a chamada  laringectomia total, que leva à perda da voz fisiológica e à realização de uma  traqueostomia definitiva (abertura de um orifício artificial na traqueia, abaixo da laringe).


O objetivo, no entanto, é sempre manter as funções da laringe. Atualmente, novas técnicas cirúrgicas continuam sendo desenvolvidas, e mesmo pessoas submetidas à esta cirurgia podem ter a voz reabilitada com o uso de próteses bonatórias traqueoesofagianas.

O uso abusivo do álcool e do tabaco são os causadores principais do câncer de laringe. Fumantes têm 10 vezes mais chances de desenvolver câncer de laringe, e pessoas que fazem uso tanto do fumo como bebidas alcoólicas, tal número sobe para 43.

Por: AgComunicado