Brentuximab Vedotin: inovação no tratamento do linfoma


Entenda por que o medicamento é tão importante

Segundo o artigo Pacientes com linfoma de Hodgkin ganham nova opção de terapia, foi divulgado em 2013 pelos Estados Unidos, o medicamento Adcetris (brentuximab) como uma melhor terapia contra o linfoma de Hodgkin. A indicação do medicamento é para casos em que as células tumorais apresentam receptividade positiva para a proteína CD30.

O mesmo artigo destaca que o medicamento é indicado para casos de paciente com linfoma de Hodgkin em que a doença tenha progredido mesmo após o transplante de medula óssea ou após o tratamento da quimioterapia em pacientes que não conseguiram receber o transplante.

De acordo com o artigo 70 tumores eliminados graças ao pioneiro ADCETRIS Brentuximab Vedotin, havia sido publicado pelo tablóide britânico Daily Mail, a notícia de que um paciente com câncer havia "assustado" os profissionais de saúde após a cura de 70 tumores que surgiram em seu corpo em apenas dois meses.Tratava-se de uma caso de linfoma não-Hodgkin, que ataca principalmente o sistema imunológico. 

Segundo o artigo Um linfoma menos traumático, a droga brentuximab vedotin é uma medicação de alta tecnologia e resultados, pois age única e diretamente sobre as células cancerígenas e daria um “sopro de esperança” para pacientes que não tiveram sucesso após o transplante de medula óssea ou que realizaram tratamento quimioterápico sem grandes avanços. 

Outro grande benefício da droga destacado pelo artigo é o de gerar menos efeitos colaterais e toxicidade.

Já o artigo Linfoma: do diagnóstico preciso à terapia-alvo, destaca a droga brentuximabe vedotina como medicamento capaz de realizar terapia-alvo específica nas células tumorais, preservando as células sadias, gerando assim, menos efeitos colaterais.

O drama atual em relação aos pacientes que sofrem com o linfoma, é o de que a medicação brentuximab já foi liberada pela justiça, mas ainda não houve cumprimento por parte das Secretarias de Estado da Saúde de várias regiões, incluindo São Paulo. Consta a demanda do medicamento na página 23 do documento (abaixo nas fontes).

Acima de tudo, é fundamental que o paciente não perca a esperança e a motivação para lutar contra a doença. 

Para a comoção em torno da liberação do medicamento, basta entrar na página da Secretaria de Estado da Saúde da sua região e comentar em posts com a hashtag #LiberaBrentuximab.


Fontes

Pacientes com linfoma de Hodgkin ganham nova opção de terapia. Revista Panorama Hospitalar: www.revistapanoramahospitalar.com.br/2013-03-pacientes-com-linfoma-de-hodgkin-ganham-nova-opcao-de-terapia-99

70 tumores eliminados graças ao pioneiro ADCETRIS Brentuximab Vedotin. Primedicin: www.primedicin.com.br/70-tumores-eliminados-pioneiro-adcetris-brentuximab-vedotin-remedio-medicamento-importado

Um linfoma menos traumático. Fundação com Câncer: cancer.org.br/um-linfoma-menos-traumatico

Linfoma: do diagnóstico preciso à terapia-alvo. Maxpress: www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,731510,Linfoma_do_diagnostico_preciso_a_terapia-alvo,731510,9.htm

Secretaria de Estado da Saúde. Coordenação de Demandas Estratégicas do SUS  (CODES): codes.saude.sp.gov.br/RSReportRender.aspx?rqs=8P0/w4nJYa0BaHYjd10UdGEH1$$$c6ZWTBD3XWNV0BaxFvXC7SnVl31BawBS88fBGdgF8zRouel7/IA3UQ8BU9BD57jVdjZzpE7jqaq3FQi3njcuz5jwIRII45PFJcotW8iDMdtn8bD0kH4PXP0OqwRdpu9viK6yezwPWwbR0tbLM4nkhcPkX8LQt0J0Q23F8EEnRommWuHAVo0potq8hDduBFJU3N/AbwSphoS6zYRICZUlyG7ja4oD/4sThVbt3F

 

Daiana Barasa