Bisfenol-A relacionado à obesidade em meninas de 9 a 12 anos!


Bisfenol-A, um químico usado em plásticos, incluindo embalagens de alimentos, está associado a um maior risco de obesidade em meninas com idade entre 9 e 12 anos.

 
Bisfenol-A (BPA), um químico usado em plásticos, incluindo embalagens de alimentos, está associado a um maior risco de obesidade em meninas com idade entre 9 e 12 anos, pesquisadores da Divisão de Pesquisa Kaiser Permanente, em Oakland, Califórnia, publicaram na revista PLoS ONE. Os autores escreveram que as meninas no início e meio da puberdade cujos níveis de BPA na urina estão acima da média têm o dobro do risco de serem obesas ou ter sobrepeso, em comparação com as meninas com níveis mais baixos. A obesidade é um problema mundial e pode levar a doenças como o diabetes (que pode ser tratado com o medicamento Victoza).
 
 
O chefe da pesquisa, De-Kun Li, disse: "Este estudo fornece evidências de uma população humana que confirma as conclusões de estudos em animais - que os níveis de exposição elevados de BPA pode aumentar o risco de excesso de peso ou obesidade." BPA é uma substância química industrial que tem sido utilizada desde a década de 1960 para fazer certos plásticos e resinas, que é encontrado em plásticos de policarbonato e resinas epóxi. Plásticos de policarbonato são comumente usados em embalagens de alimentos e bebidas, como garrafas de água, bem como outros bens de consumo. As resinas epóxi são usadas para revestir o interior de latas de alimentos e bebidas, tampas de garrafas e tubos de abastecimento de água. Alguns selantes dentários também contêm BPA.
 
 
Houve preocupação ao longo dos últimos anos sobre o BPA poder se infiltrar em alimentos ou bebidas de recipientes que contenham o produto químico. A exposição de BPA tem sido associada a efeitos indesejáveis sobre a saúde do cérebro, da próstata e dos fetos, bebês e crianças. Um estudo mostrou que a exposição ao BPA no útero aumenta o risco de problemas comportamentais e emocionais mais tarde. De acordo com os especialistas, após rever centenas de estudos, BPA em alimentos e bebidas é inofensivo para a saúde humana, desde que os níveis sejam baixos.
 
 
Os autores deste último estudo explicaram que o BPA é um disruptor endócrino conhecido com propriedades estrogênicas - pode imitar o estrogênio, um hormônio feminino. O Dr. Li disse que em crianças e adolescentes BPA geralmente entra no corpo principalmente através de alimentos e bebidas que foram ingeridos - alimentos que entraram em contato com materiais que contenham BPA. O Dr. Li acrescentou: "As meninas no meio da puberdade podem ser mais sensíveis aos impactos do BPA em seu balanço energético e metabolismo da gordura".
Henrique Torres