Baixa umidade do ar agrava problemas respiratórios


Saiba como minimizar os efeitos do tempo seco.

 Em determinados períodos sem chuvas neste inverno, boa parte das cidades brasileiras apresenta baixas taxas de umidade relativa do ar – inferiores aos 30% considerados satisfatórios pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Este clima seco propicia e agrava diversos problemas respiratórios. Favorece a proliferação de gripes, sinusites, pneumonias e alergias que, segundo a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, chegam a crescer 25%. Sendo assim, a população deve estar alerta e tomar medidas que minimizam os sintomas, especialmente  nas crianças e idosos.
 
Além dos problemas respiratórios, a baixa umidade do ar somada à poluição acumulada nas grandes cidades provoca dores de cabeça, mal estar, irritações nos olhos, nariz, garganta e pele. Estas irritações podem gerar desde uma sensação de ardência até uma possível inflamação ou infecção. A garganta tende a ficar seca rapidamente, e surgem sintomas como tosse, pigarro e rouquidão. Para evitar complicações, é importante ingerir líquidos em abundância ao longo do dia, para manter o corpo hidratado por inteiro. A água (filtrada ou mineral) deve ser priorizada. Sucos naturais, água de coco, verduras e frutas suculentas com certeza são bem-vindas para manter a hidratação, além de fazer bem à saúde.
 
Já para combater a secura dos olhos e nariz, a dica é aplicar soro fisiológico. O soro deve ser mantido na geladeira e utilizado em temperatura ambiente, quando houver  necessidade. Colírios, que são medicamentos, só devem ser usados em casos específicos, sob prescrição do oftalmologista.  
 
Em casa também é possível tomar medidas contra a baixa umidade do ar. Mantê-la sempre limpa é fundamental, não apenas por uma questão de higiene, mas porque o ar seco gera mais ácaros e poeira, o que desencadeia doenças respiratórias. A limpeza com pano úmido, além de não espalhar a poeira, ajuda a manter o local mais fresco quando não há aparelhos umidificadores.
 
Por: AgComunicado