Avós Podem Retransmitir Autismo aos Netos


Estudo mostra que o risco de desenvolver autismo pode ser passado através de gerações futuras, principalmente de avós para netos!

Avós Podem Retransmitir Autismo aos Netos
 
 
O risco de desenvolver o autismo pode ser passado através de gerações futuras, investigadores dizem. O estudo internacional sugere que pais mais velhos são mais propensos a ter netos com autismo do que suas contrapartes mais jovens. O mecanismo não é claro, mas acredita-se que eles podem transmitir "mutações silenciosas" para seus netos. Mas os especialistas pediram cautela, pois a propensão para o Autismo é o resultado de diversos fatores. O estudo, com quase 6.000 pessoas com a condição, foi publicado na revista Jama Psiquiatria. De acordo com a sociedade nacional de autistas, mais de um em cada cem pessoas no Reino Unido têm a condição. 
 
 
Mas as equipes do Reino Unido, da Suécia e da Austrália dizem que esta é uma das primeiras peças da evidência para mostrar que o risco pode ser transmitido através de - ao invés de apenas em linha reta a - futuras gerações. As mutações "silenciosas" - mudanças no material genético - são susceptíveis de ter nenhum impacto óbvio sobre as crianças dos pais mais velhos, mas podem acumular-se através de gerações sucessivas, ou interagir com outros genes e fatores ambientais, para aumentar a chance de seus netos desenvolverem a condição, dizem os pesquisadores.
 
 
Usando bases de dados nacionais da Suécia eles estudaram quase 6.000 pessoas diagnosticadas com a condição e mais de 30.000 sem a condição, com acompanhamento da idade de seus pais e avós. Eles descobriram que homens que tiveram um filho quando tinham a idade de 50 anos ou mais velhos eram 1,79 vezes mais propensos a ter um neto com autismo, em relação aos homens que tiveram filhos com idade entre 20-24 anos.
 
Henrique Torres