As Mutações de Genes e o Risco de Câncer


Pacientes portadores de genes defeituosos são mais propensos a serem diagnosticados com câncer!

As Mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 foram detectadas para aumentar o risco do desenvolvimento do câncer de próstata. Não é rotina no Reino Unido que todos os homens diagnosticados com câncer de próstata façam um teste para esses genes defeituosos.
 
 
Atualmente no Reino Unido o teste só é susceptível de ser oferecido aos homens em famílias com uma história significativa de câncer de mama ou câncer de ovário, assim como câncer de próstata. No entanto, espera-se que à medida que o ensaio se torne mais barato, ele será oferecido mais rotineiramente.
 
 
Os pesquisadores gostariam de ver o teste com o gene BRCA2 ser oferecido a todos os homens com idade inferior a 65 anos que desenvolvem câncer de próstata. Um estudo anterior descobriu que 1 em cada 100 destes pacientes é portador do gene defeituoso. No Reino Unido, cerca de 40.800 homens são diagnosticados com câncer de próstata, que reivindica uma vida a cada hora. 
 
 
Pacientes com câncer de próstata BRCA2 são significativamente menos propensos a sobreviver.  Para seu estudo, Eeles e seus colegas examinaram os registros médicos de mais de 2.000 pacientes com câncer de próstata. 61 dos pacientes apresentaram mutações no gene BRCA2, 18 apresentaram mutações no gene BRCA1, e 1940 não tinham mutações nem do gene BRCA1 ou do gene BRCA2.
 
 
Eles descobriram que, em comparação aos não-portadores, os pacientes portadores de genes defeituosos eram mais propensos a serem diagnosticados com câncer de próstata avançado (37% versus 28%), ou com câncer que já tinha se espalhado (18% contra 9%).
 
 
O medicamento Flutamida é utilizado na área médica para tratar o câncer de próstata.
 
Henrique Torres