As mulheres podem comer durante o trabalho de parto?


Pesquisadores descobriram que a restrição de alimentos e bebidas durante o trabalho de parto não beneficia as mães de qualquer forma.

 
 
Pesquisadores descobriram que a restrição de alimentos e bebidas durante o trabalho de parto não beneficia as mães de qualquer forma, de acordo com um estudo publicado no The Library Cochcrane. Muitos hospitais em todo o mundo têm políticas que restringem alguns alimentos e líquidos uma vez que uma mulher deu inicio ao processo de trabalho de parto. Estas políticas são especialmente aplicadas quando é necessária uma cesariana e anestesia geral. No entanto, pesquisadores da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, dizem que este procedimento é "injustificado".
 
 
Uma análise de cinco estudos foi realizada envolvendo 3130 mulheres. Todas as mulheres foram classificadas como de baixo risco para a necessidade de anestesia geral durante todo o trabalho. Os pesquisadores analisaram as mães e os recém-nascidos em relação àquelas que tinham restrições de comida e bebida com aquelas que não tinham restrições. Três resultados preliminares foram revisados para as mulheres:
 
 
  1. A cesariana;
  2. Um parto vaginal;
  3. Satisfação da mãe no nascimento.
 
 
Para os bebês, os pesquisadores revisaram o APGAR - um teste que os médicos e parteiras usam para avaliar a condição do bebê, marcando o esforço respiratório, frequência cardíaca, tônus muscular, reflexos e cor da pele. Os pesquisadores também analisaram os níveis de glicose no sangue dos bebês. "Não há evidência de qualquer benefício", os pesquisadores disseram. Os resultados do estudo não revelaram diferenças em nenhum dos resultados medidos entre as mulheres que comeram e beberam durante o trabalho e aqueles que não o fizeram.
 
 
Gillian Gyte, do departamento de mulheres e crianças de saúde e um dos autores da revisão Cochrane, da Universidade de Liverpool, contou: "Nosso estudo não encontrou nenhuma diferença nos resultados medidos, em termos de bem-estar dos bebês ou a probabilidade de uma mulher passar mal. Não há nenhuma evidência de qualquer benefício para restringir o que as mulheres podem comer e beber em trabalho de parto".
 
 
No estudo de revisão Cochrane, os autores dizem que as restrições contra a comida e bebida durante o trabalho de parto começou a partir de 1946. Este descobriu que as mulheres estavam sofrendo de doença ou morte sob anestesia geral para uma secção C, porque o conteúdo de seu estômago estava entrando em seus pulmões. 
Henrique Torres