As Empresas de Alimentos e o Governo na Luta Contra a Obesidade


Conheça os resultados das medidas regulamentadas nos alimentos infantis

As Empresas de Alimentos e o Governo na Luta Contra a Obesidade
 
 
No entanto, o ex-diretor regional de saúde pública, o Professor Gabriel Scally, disse que a voluntária "colaboração" entre as empresas de alimentos e o governo não estava funcionando. Falando à BBC, ele disse: "Eu não acho que ninguém neste país pensa realmente que a indústria de alimentos são as pessoas certas para decidir o que se deve comer".
 
 
O Professor Nick Finer, que foi coautor de um relatório recente sobre obesidade pelo Royal College of Physicians, disse que medidas legislativas já haviam sido feitas em outros países europeus. "Nas escolas francesas a comida e a bebida são controladas e todo marketing de alimentos ricos em gordura, açúcar e sal é proibido a menos que eles sejam tributados e comercializados com um aviso de saúde. Os estudos têm demonstrado que após estas medidas, o número de crianças com excesso de peso na França caiu de 18,1% em 2000 para 15,5% em 2007." A obesidade é um problema que pode levar a outros, como a diabetes, que é controlada por medicamentos como o Victoza.
 
 
A Nutricionista Amanda Ursell disse que introduzir limites legais sobre os alimentos poderia ser "incrivelmente útil" se isso significasse que "fabricantes seriam encorajados a reformular seus produtos" e o mercado de "forma responsável". Ela disse: "a comida das crianças até a idade de um ano é estreitamente regulada - assim você sabe que elas não têm muito açúcar, sal ou gordura. Mas com a idade esses regulamentos deixam de existir. É um processo lento e a indústria alimentar tem feito muito bem ao longo dos anos, mas isso seria um incentivo extra para se alcançar um estágio ainda melhor".
 
 
 
Henrique Torres