As Células Imunológicas Possuem Memória em Longo Prazo?


Veja como as células imunológicas fazem uma “recordação da memória" para formar o sistema imunológico contra as doenças!

 As Células Imunológicas Possuem Memória em Longo Prazo?
 
 
Matthew Krummel, professor de patologia da Universidade da Califórnia em San Francisco, descobriu que depois que as células T individuais visitam as amostras dos materiais estranhos no organismo, como as bactérias, os vírus e as vacinas, elas se reúnem por um tempo, várias horas após ser exposto ao material estrangeiro. Krummel e colegas chamam isto de "período crítico de diferenciação".
 
 
Os investigadores sugerem que estes "períodos críticos de diferenciação" são necessários para permitir uma "recordação da memória" para formar o sistema imunológico. É o acesso a essa recordação da memória que permite que o sistema imunológico reconheça os agentes patogênicos que tenham sido expostos anos antes. Se o sistema imunológico não tem memória em longo prazo, vacinas seriam inúteis, diz Krummel. "O corpo não iria lembrar que tinha sido exposto a um patógeno específico, como o sarampo ou difteria e não saberia como combatê-lo com êxito", acrescenta.
 
 
Para seu estudo, ele e seus colegas trabalharam com dois conjuntos de ratos que foram projetados para ter um sistema de imunológico como o humano. Eles vacinaram todos os ratos contra listeria, uma bactéria que causa intoxicação alimentar e então os expoz a bactéria. Em um conjunto de ratos foi permitido que o sistema imunitário realizasse os períodos de diferenciação crítica normal, mas no outro conjunto de ratos os pesquisadores bloquearam o período crítico de diferenciação. Os ratos cujo sistema imunológico tinha períodos de diferenciação crítica normal, sem entraves, mantiveram-se saudáveis e não ficaram infectados. Os ratos cujo sistema imunológico foram impedidos de ter os períodos de diferenciação crítica foram vítimas de infecção, como se eles não tivessem sido vacinados, diz Krummel.
 
 
O achado poderia ser útil no caso de doenças auto-imunes, como Lúpus ou diabetes (que pode ser tratado com o medicamento Victoza). Bloquear a formação de memória talvez pudesse reduzir a hiperatividade.
 
Henrique Torres