Alimentação para ajudar na fertilidade


Não abusar do consumo de gorduras e massas contribui para a saúde dos hormônios

A infertilidade é um problema que acomete mais de 15% dos casais brasileiros. Hábitos de vida, sêmen inapropriado e inclusive a má alimentação são alguns dos fatores responsáveis por este problema.  Pesquisas divulgam a importância da alimentação saudável e principalmente de alguns nutrientes específicos para a saúde da fertilidade.

Vale ressaltar que os nutrientes e vitaminas presentes nos alimentos são cruciais para proteção do espermatozoide e no combate a oxidação. Antioxidantes, como o betacaroteno, ômega-3, zinco e vitamina C possuem  a tarefa importante de auxiliar na saúde da produção dos hormônios responsáveis pela fertilidade.

Invista na ingestão do ácido fólico

Este nutriente é essencial para mulheres que desejam engravidar. O ácido fólico é responsável por auxiliar a partir do momento da fecundação até a formação do bebê. Estabelecer uma dieta rica em ácido fólico é importante principalmente nos três primeiros meses de gestação para fortalecer a saúde da mãe e da criança evitando os riscos do aborto espontâneo, comum durante o inicio da gravidez.

Podemos desfrutar das fontes de ácido fólico: lentilha, fígado de boi, fígado de galinha, beterraba, feijão preto, quiabo, soja, entre outros.

Não abuse do consumo de refinados

Alimentos ricos em grãos refinados, como o pão branco, biscoitos, entre outros, são causadores do aumento dos índices glicêmicos e podem elevar a quantidade de transporte de açúcar para a corrente sanguínea.

A explicação dos especialistas é de que quando há maior quantidade de açúcar para o transporte em regiões sanguíneas exige também a participação dos hormônios responsáveis pela fertilidade. Ao aumentar a produção dos hormônios pode ser prejudicial na hora da ovulação.

Para uma fertilidade saudável é crucial manter os hormônios femininos e masculinos em controle e produção adequada.  Quando há exagero no consumo de alimentos refinados, a sugestão é substituí-los por grãos integrais. Para diminuir os riscos de picos de glicemia o indicado é investir na alimentação rica em substâncias como o ômega-3, encontrado no salmão, sardinha, azeite extra virgem, entre outros.   

Consuma mais proteínas e vegetais

O consumo excessivo de carne animal não é indicado para pessoas que possuem problemas com a fertilidade. O alimento, além de aumentar  o tecido adiposo, também desregula a produção dos hormônios masculinos,  o que pode ser prejudicial na hora da fecundação.

A carne animal é indicada ao menos três vezes na semana para não afetar a saúde. Opte por cortes magros e tente intercalar o consumo do alimento por opções como cogumelos, grãos de soja, feijão,  grão-de-bico, entre outros. 

Juliana Rodrigues