Adiada decisão sobre veto a emagrecedores


Anvisa adiou determinação sobre proibição da venda de medicamentos para emagrecimento no Brasil

Recentemente, o veto à venda dos medicamentos dietilpropiona (anfepramona), femproporex, mazindol e sibutramina foi recomendada à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por técnicos da Câmara Técnica de Medicamentos (Cateme), que apontaram diferentes riscos relacionados ao uso desses medicamentos e colocaram em dúvida sua eficácia. Várias vozes, no entanto, se posicionaram contra a proposta de veto às substâncias, entre eles membros dos Conselhos Regionais e Federal de Farmácia e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Por conta disso, a Anvisa adiou a decisão sobre a intenção de proibir a venda de medicamentos usados para emagrecimento no Brasil.

Em entrevista recente ao jornal O Estado de S. Paulo, a presidente da Associação Brasileira para Estudo de Obesidade (Abeso), Rosana Radominski, afirmou que a retirada dos medicamentos traria prejuízo aos pacientes. Segundo ela, os remédios podem ser usados, desde que com indicação correta. Já o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem), Ricardo Meirelles, reconheceu que os medicamentos apresentam efeitos colaterais. Para ele, porém, tais efeitos são em pequena quantidade, diante do tempo da droga no mercado e do grande número de pessoas que fizeram uso da medicação.

Uma alternativa à proibição seria um maior controle na prescrição desses medicamentos, com restrição às especialidades médicas com direito a receitar os remédios.