Adesivos poderão substituir vacinas no futuro


De acordo com os pesquisadores, o novo método promete prevenir as doenças de forma rápida e eficaz.

Foi apresentado durante uma conferência, na Escócia, um adesivo que promete aplicar vacinas de forma barata e eficaz, sem necessidade das agulhas. Segundo o autor da invenção, Mark Kendall, da University of Queensland, em Brisbane na Austrália, este novo método, abre o caminho para vacinas de uso fácil, como por exemplo, a doença malária. 
 
Substituir a agulha, pelo nanoadesivo pode causar uma grande transformação na prevenção de doenças, no entanto, outros especialistas defendem a ideia de que, esse novo método pode não ser apropriado para todos os pacientes. 
 
Aplicado sobre a pele seca, o nanoadesivo possui milhares de saliências minúsculas que perfuram a pele e liberam a vacina. Dessa maneira, o nanoadesivo supera as desvantagens das vacinas convencionais, como as contaminações causadas pelas agulhas sujas.  
 
"As saliências no adesivo trabalham com o sistema imunológico da pele. Nosso alvo são essas células, situadas a um fio de cabelo de distância da superfície da pele", disse Kendall.
 
A equipe de Kendall realizou testes, utilizando o nanoadesivo para administrar vacinas contra a gripe e puderam analisar que as respostas para as vacinas aplicadas pelo nanoadesivo, foram completamente diferentes, daquelas aplicadas por agulhas tradicionais. 
 
Sem contar que as vacinas tradicionais, precisam ser mantidas em refrigeradores até serem aplicadas e por vezes, a aplicação das vacinas não são eficientes, pelas falhas na refrigeração. Já a vacina nanoadesiva pode ser mantida a 23°C, durante um ano.
 
A substituição das seringas pelos nanoadesivos, começarão em breve na Papua Nova Guiné, onde as vacinas são escassas. Os pesquisadores esperam que esse novo método possa ser utilizado em grande escala. No entanto, vale ressaltar, que é possível surgir problemas de tolerância do adesivo sobre a pele de alguns pacientes, mas os especialistas afirmam que esses problemas poderão ser sanados, já que o nanoadesivo tem um grande potencial de substituir as vacinas tradicionais.