A Síndrome de Burnout


Saiba o que é a Síndrome de Burnout.

Sindrome de Burnout

 

Sindrome de Burnout é um termo psicológico para a experiência da exaustão em longo prazo e a redução do interesse. Pesquisas indicam que médicos de clínica geral tem a maior proporção de casos de burnout; de acordo com um recente estudo holandês em relatórios psicológicos, não menos que 40% destes experimentaram altos níveis de burnout. Burnout não é um transtorno reconhecido no DSM embora seja reconhecido na CID-10 como "Problemas relacionados à dificuldade de gerenciamento de vida".

 

A medição mais bem estudada de burnout na literatura é o inventário de Burnout de Maslach. Maslach e seu colega Jackson identificaram a construção de "burnout" na década de 1970 e desenvolveram uma medida em que se pesam os efeitos da exaustão emocional e se reduz o senso de realização pessoal. Este indicador se tornou a ferramenta padrão para medir o burnout na pesquisa sobre a síndrome. O inventário de Burnout de Maslach usa três descrições dimensionais da exaustão, cinismo e ineficácia. Alguns pesquisadores e profissionais têm argumentado um modelo de "exaustão" que veem esse sintoma como a indicação de burnout. Maslach e seu colega, Michael Leiter, definirão a antítese do burnout como contrato. O contrato caracteriza-se por energia, envolvimento e eficácia, os opostos de exaustão, cinismo e ineficácia.

 

Muitas teorias de burnout incluem resultados negativos relacionados ao estresse, incluindo função de trabalho (desempenho, saída, etc.), saúde relacionada com problemas de saúde mental (depressão, etc.) e resultados (aumento nos hormônios do estresse, doença coronariana, problemas circulatórios). O burnout do termo em Psicologia foi cunhado por Herbert Freudenberger em 1974, no seu estudo de burnout de funcionários, presumivelmente baseado no romance de 1960 intitulado “A Burnt-Out” escrito por Graham Greene, que descreve uma protagonista sofrendo de burnout.

Henrique Torres