A Relação Entre Sedentarismo e Obesidade


Saiba qual é a relação entre o sedentarismo e a obesidade.

Sedentarismo e a Obesidade


Um estilo de vida sedentário tem um papel importante no desenvolvimento da obesidade.  Em todo o mundo tem havido uma grande mudança em relação ao trabalho menos exigente fisicamente, e, atualmente, pelo menos 60% da população do mundo pratica exercícios físicos de forma insuficiente. Isto se passa principalmente devido ao uso crescente de transporte mecanizado e devido a uma maior prevalência de poupar trabalho graças a tecnologia em casa. Em crianças, parece haver queda nos níveis de atividade física, devido a andar menos a pé e realizar menos atividades físicas, seguindo uma tendência mundial de atividade física e de lazer ativo que são menos claros. A Organização Mundial de Saúde indica que pessoas no mundo estão se tornando menos ativos para com atividades recreativas, enquanto um estudo da Finlândia encontrou um aumento significativo no sedentarismo em crianças. Em crianças e adultos, há uma associação entre tempo de ver televisão e o risco de obesidade. A revisão encontrou 63 de 73 estudos (86%) que apresentaram um aumento na taxa de obesidade infantil com o aumento a exposição às televisões, com taxas crescentes proporcionalmente ao tempo gasto assistindo televisão.

>>>>>> Comprar OxyElite<<<<<<<<<

Como muitas outras condições médicas, a obesidade é o resultado de uma interação entre fatores genéticos e ambientais.Polimorfismos em diversos genes que controlam apetite e metabolismo predispõem à obesidade, quando presente a energia suficiente de comida.A partir de 2006 mais de 41 destes casos têm sido associados ao desenvolvimento da obesidade, isto é, um ambiente favorável está presente. Pessoas com duas cópias do gene FTO (massa de gordura e obesidade estão associadas a este gene) foram pesadas em média3-4 kg mais e têm um risco 1,67 vezes maior de obesidade em comparação com aqueles sem o alelo de risco. A percentagem de obesidade que pode ser atribuído à genética varia, dependendo da população examinada, a partir de 6% a 85%.

Veja: OxyElite

Henrique Torres