A pressão arterial é mais elevada a noite do que originalmente se pensava!


A pressão arterial durante a noite é um importante preditor tanto de acidente vascular cerebral como de doença cardíaca!

 
A pressão arterial medida perto do coração é significativamente maior durante o sono do que se pensava inicialmente, de acordo com uma nova tecnologia desenvolvida por cientistas da UCL. A pressão arterial durante a noite é um importante preditor tanto de acidente vascular cerebral como de doença cardíaca, com pesquisas anteriores sugerindo que a pressão arterial calculada através do braço diminui à noite, durante o sono. Mas o estudo revela que a redução de noite na pressão arterial pode ser menos importante do que se pensava inicialmente.
 
 
Os resultados, publicados na revista Hypertension, revelam implicações importantes para a avaliação de futuras terapias, porque as drogas usadas para tratar a pressão arterial elevada podem ter muitos diferentes efeitos sobre a pressão perto do coração, em comparação com o método histórico do braço. Os investigadores trabalharam com uma empresa de tecnologia de Singapura para desenvolver um dispositivo de pulso portátil baseado em um relógio que tem um sensor na cinta que localiza a onda de pulso no pulso, em vez de se calcular a pressão diretamente.
 
 
Ao modelar a onda de pulso matematicamente, a equipe foi capaz de calcular corretamente a pressão na raiz da aorta (perto do centro) por um total de 24 horas sem incomodar as pessoas que estavam sendo monitorados. O autor, Professor Bryan Williams, que também é diretor do College London Hospitals Biomedical Research Centre da Universidade NIHR, diz: "A pressão arterial elevada é um importante fator de risco no desenvolvimento de doenças cardiovasculares (ataques cardíacos, acidente vascular cerebral). Ela afeta mais de 12 milhões de pessoas no Reino Unido e é a única causa evitável mais importante de morte prematura”.
 
 
“Este estudo fornece a primeira descrição da variação natural da pressão arterial ao longo do dia e da noite em que as medições foram tomadas perto do coração. O que nós mostramos é que as pressões por parte do coração não mergulham tanto durante o sono, como se pensava anteriormente com base em medições de pressão convencionais tomadas a partir do braço", ele continua.
 
 
Os autores esperam que os resultados ressaltem a importância da diminuição da pressão arterial durante a noite, possivelmente mudando abordagens para tratar e medir a pressão arterial elevada. Pesquisas anteriores sugerem que o sono insuficiente está associado com a pressão arterial elevada. O professor Williams verificou que, calculando simultaneamente a tendência da pressão arterial braquial (no braço) e as pressões da aorta central (onde sai sangue do coração), houve uma redução significativa na pressão aórtica central em relação a correspondente queda noturna da pressão braquial, apesar das semelhanças nos ritmos circadianos.
 
 
Os resultados sugerem que as pressões da aorta noturnas são desproporcionalmente maiores que as pressões braquiais durante o sono. Isto poderia ser uma informação importante para os clínicos que examinam o impacto negativo que a pressão arterial elevada pode ter sobre o coração e cérebro.
 
Henrique Torres