A partir dos 50 anos, eles vivem "menopausa" masculina


Diminuição do desejo sexual, perda de massa óssea e irritabilidade são alguns dos sintomas

Mulheres e homens sofrem com as alterações hormonais e físicas que acompanham o envelhecimento. Nas mulheres, acontece a menopausa. Nos homens, a andropausa. Os especialistas, porém, não consideram o termo apropriado e preferem chamá-la de: Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM).

A partir dos 50 anos, o homens sofrem uma redução na produção do hormônio testosterona, responsável pelo desejo sexual. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, de 20% a 25% dos homens nessa idade apresentarão essa diminuição, e desde os 40 anos de idade, começa a ocorrer uma perda dos níveis de testosterona de aproximadamente 1% ao ano. O diagnóstico do DAEM é feito através de exame de sangue para medir o nível de testosterona.

Entre os sintomas, estão:


• Diminuição gradual da libido, do desempenho e da frequência sexual;
• Perda de massa muscular e óssea (osteoporose);
• Depressão e alterações de humor;
• Aumento da gordura na região abdominal;
• Cansaço físico e mental;
• Perda de pelos e
• Alterações na textura da pele, que fica mais fina.

O tratamento tem como objetivo repor os níveis de testosterona. Isso costuma ser feito através da reposição hormonal, que consiste na aplicação de injeções intramusculares, cada duas ou três semanas, ou ainda fazendo uso de adesivos ou gel.

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, a reposição hormonal no homem não leva ao câncer de próstata. No entanto, homens com tendência a desenvolver esta doença, ou se sofrem de problemas urinários ou ainda de apneia do sono não tratada, não podem realizar este tratamento. Aqueles que fazem a reposição hormonal precisam fazer controles periódicos, pelo menos, duas vezes ao ano através do exame de PSA (Antígeno Prostático Específico), hemograma, dosagens de testosterona, além de exames de função hepática e toque retal.

Por: AgComunicado