A Legalização da Maconha e a Saúde


Entenda quais são os riscos para a saúde que a legalização da maconha pode acarretar.

"A maconha é agora muito mais potente, o que pode explicar por que nós temos visto um aumento muito acentuado na admissão de salas de emergência e programas de tratamento para maconha" disse a Dra. Nora D. Volkow, diretora do Instituto Nacional sobre abuso de drogas. "Quando ouvimos: ‘Bem, eu fumava e nada me acontecia’, temos de refletir sobre o contexto de quando essas pessoas começaram a fumar maconha, a frequência do uso e como o uso da maconha foi realizado".
 

Aqueles que são a favor da legalização da maconha dizem que os dizeres sobre o aumento da potência têm sido exagerados, e que, quando os usuários têm sensações mais poderosas, ajustar o consumo e realmente fumar menos é possível. Adolescentes podem ser mais vulneráveis à dependência, no entanto, aqueles que começam a fumar maconha com uma idade maior correm riscos também. Aproximadamente um em cada seis usuários vai tornar-se viciado, disse a Dra. Volkow. Adultos jovens que começam a fumar maconha em idades anteriores também tendem a fumar mais e mais vezes que aqueles que começam na adolescência ou posteriormente, dizem os pesquisadores.
 

Em usuários que desenvolvem uma dependência ou vício, parar de fumar pode causar intensos sintomas de abstinência, como ansiedade, problemas para dormir, falta de apetite, alterações de humor, irritabilidade e depressão, dizem os especialistas. Os estados de Colorado e Washington restringiram o uso de maconha para adultos menores de 21 anos em novembro. Mas especialistas preocupam-se que a percepção da maconha está mudando porque seu estigma como uma droga proscrita está acabando.
Henrique Torres