A Geografia e a Artrite Reumatoide


Uma pesquisa anterior estabeleceu uma associação entre a geografia e o risco de artrite reumatoide

A Geografia e a Artrite Reumatoide
 
 
Uma pesquisa anterior estabeleceu uma associação entre a geografia e o risco de artrite reumatoide, além de outras doenças autoimunes tais como:
 
 
1. Diabetes tipo 1 (que pode ser tratada com medicamentos como o Victoza)
2. Doença inflamatória intestinal
3. Esclerose múltipla
 
 
Em um estudo separado, realizado em 2010 por Boston University School of Public Health, revelou que as mulheres que vivem em Estados do Nordeste nos EUA são mais propensas a desenvolver artrite reumatoide. Os autores encontraram uma ligação entre a deficiência de vitamina D e a artrite reumatoide. 
 
 
Portanto, mulheres que vivem em Estados como Vermont, Maine e New Hampshire foram consideradas a ter taxas mais elevadas de artrite reumatoide, porque elas foram expostas a menos luz solar. Essas mulheres particulares eram mais jovens do que aquelas enfermeiras do primeiro estudo e, portanto, poderiam ter sido mais conscientes dos possíveis perigos associados com o bronzeamento.
 
 
Os autores explicaram: "Diferenças de comportamentos protetores de sol (por exemplo, uma maior utilização de protetor solar nas gerações mais jovens) podem explicar os resultados díspares".
 
 
Durante toda a duração do estudo, 1314 mulheres desenvolveram artrite reumatoide. Entre os enfermeiros do grupo a maior exposição cumulativa a UVB foi vinculada com uma diminuição do risco de desenvolver a doença.
 
 
Os autores concluíram: "Nosso estudo adiciona à crescente evidência que a exposição à luz UV-B está associada com a diminuição de risco de artrite reumatoide. Os mecanismos não são ainda entendidos, mas poderiam ser mediados pela produção cutânea de vitamina D e atenuados pelo uso de protetor solar ou comportamento de esquiva do sol".
 
Henrique Torres