A Doença de Alzheimer Moderada


Saiba qual é o nível moderado de ocorrimento da doença de Alzheimer.

Doença de Alzheimer Moderada

 

Deterioração progressiva, eventualmente, dificulta a independência, sendo incapaz de realizar atividades mais comuns da vida diária. Dificuldades de fala tornam-se evidentes devido a uma incapacidade de recordar vocabulário, o que leva a substituições de palavras incorretas freqüente (paraphasias). Leitura e escrita também são progressivamente perdidas. Sequências motoras tornam-se menos coordenadas com o tempo e avança tornando o risco de queda maior. Durante esta fase, problemas de memória pioram, e a pessoa pode deixar de reconhecer parentes próximos. Memórias de longo prazo, que estavam previamente intactas, tornam-se prejudicadas.

 

Alterações comportamentais e neuropsiquiátricas tornam-se mais prevalentes. Manifestações comuns são errantes, irritabilidade e afeto lábil, levando ao choro, explosões de agressão premeditada ou resistência para cuidar. Aproximadamente 30% das pessoas com Doença de Alzheimer desenvolvem biométricos ilusórios e outros sintomas delirantes. Entidades também perdem a visão do seu processo de doença e limitações (anosognosia). Estes sintomas criam estresse para familiares e cuidadores, que podem ser reduzidos, movendo a pessoa de atendimento domiciliar para outras estruturas de cuidados em longo prazo.

 

Problemas sutis com as funções executivas da atenção, planejamento, flexibilidade e o pensamento abstrato ou deficiências na memória semântica (memória de significados e relações de conceito) também podem ser sintomáticos de estágios iniciais da Doença de Alzheimer. Apatia pode ser observada nesta fase e continuar a ser o sintoma de neuropsiquiátricos mais persistentea ao longo do curso da doença. Também foi denominado transtorno cognitivo leve, a fase pré-clínica da doença, mas se este termo corresponde a uma fase de diagnóstico diferente ou identifica a primeira etapa do anúncio é uma questão de disputa.

Henrique Torres