A Bronquite Crônica


Conheça os sintomas de cada uma das doenças e saiba diferencia-las.

Bronquite crônica

 

Bronquite crônica, um tipo de doença pulmonar obstrutiva crônica, é definido por uma tosse produtiva que dura três meses ou mais por pelo menos dois anos. Outros sintomas podem incluir Chiado e falta de ar, especialmente após o esforço. A tosse é frequentemente pior logo após o despertar, e o muco produzido pode ter uma cor amarela ou verde e pode ser listado com sangue. 

 

Bronquite crônica é causada por lesões recorrentes ou irritação dos brônquios, resultando em inflamação crônica, edema (inchaço), o epitélio respiratório e aumento da produção de células de muco. O fluxo de ar para dentro e fora dos pulmões é parcialmente bloqueado por causa do inchaço e extra muco nos brônquios, ou devido à broncoespasmo reversível.

 

A maioria dos casos de bronquite crônica são causadas por fumar cigarros ou outras formas de tabaco. A inalação crônica de fumos irritantes ou pó de poluição ocupacional de exposição ou ar também pode ser causadores da bronquite crônica. Cerca de 5% da população tem bronquite crônica, e é duas vezes mais comum em mulheres que em homens.

 

A bronquite crônica é tratada sintomaticamente. Inflamação e edema do epitélio respiratório podem ser reduzidos com corticosteróides inalados. Chiado no peito e falta de ar podem ser tratadas por redução do broncoespasmo (estreitamento reversível dos brônquios menores devido à constrição do músculo liso) com broncodilatadores, tais como a inalação de agonistas adrenérgico e inalado anticolinérgicos. Hipoxemia, muito pouco oxigênio no sangue, pode ser tratada com oxigênio suplementar. No entanto, a suplementação de oxigênio pode resultar em diminuição do drive respiratório, levando ao aumento dos níveis de dióxido de carbono e acidose respiratória subsequente. 

 

O método mais eficaz de prevenir a bronquite crônica e outras formas de bronquite é evitar cigarros e outras formas de tabaco.

Henrique Torres