A aspirina e o câncer


Estudos mostram que a aspirina pode ter propriedades anticâncer!

 
Por mais de 20 anos, desde que um estudo na Austrália sugeriu pela primeira vez que a aspirina pode ter propriedades anticâncer, os pesquisadores têm encontrado que a droga pode evitar dor de cabeça e também tratar todos os tipos de câncer.
 
 
No início, pensava-se que o efeito só começava depois de dez anos ou mais, mas, em 2012, três estudos com pessoas de meia-idade que tomavam aspirina em baixas doses sugeriu que os benefícios anticâncer podem começar depois de apenas três anos. No entanto, apesar de todas essas evidências, o mecanismo subjacente através do qual a aspirina confere seus benefícios anticâncer tem sido um pouco difícil de estabelecer.
 
 
Agora, este último estudo sugere que, para o câncer de mama, pode ser que a aspirina interfira com as células-tronco que são acreditadas para estimular o crescimento e propagação de tumores. Num comunicado de imprensa, o autor sênior sushanta Banerjee, diretor da unidade de pesquisa do câncer e um professor da Universidade de Kansas Medical Center, diz que quimioterapia de primeira linha não destrói as células-tronco: eventualmente, o tumor vai começar a crescer novamente.
 
 
E, em testes de laboratório, a aspirina bloqueou o crescimento de duas linhas diferentes de câncer da mama.  Em uma das linhas de células que os pesquisadores usaram foi a que é muitas vezes chamada de câncer de mama triplo-negativo, que é uma forma menos comum, mas muito mais difícil de câncer de mama para o tratamento.
 
 
Banerjee, que também é professor de medicina na divisão de hematologia e oncologia da universidade, diz que ele e sua equipe estão principalmente interessados em câncer de mama triplo-negativo, porque o prognóstico é muito pobre para os pacientes que se encontram com esta forma da doença.
 
 
Mas tomar aspirina não é isenta de riscos, por exemplo, o uso de aspirina por dia pode aumentar o risco de hemorragia gastrointestinal. Os pesquisadores continuam a investigar se as vantagens superam as desvantagens potenciais.
 
 
O medicamento Tamoxifeno é indicado para tratar câncer de mama.
 
Henrique Torres