Uma alimentação ruim pode acarretar na infertilidade


Comer mal também resulta em problemas de saúde para o pai e seus filhos. Saiba mais.

Há um tempo atrás, através de um estudo, foi descoberto uma evidência científica que está baseada no relacionamento entre comida e a integração e “qualidade” genética. Com o estudo pôde-se perceber que os homens que comem muita carne processada e fast foods tem uma qualidade baixa de esperma. Isso é mais do que só uma questão sobre infertilidade, é também uma questão de integridade genética.
 
Um homem que persiste em uma dieta nada saudável vai acabar acarretando não apenas no aumento do risco de desenvolver doenças como câncer, diabetes e infertilidade, mas vai aumentar o risco de seus descendentes também terem essas doenças.
 
Isso foi mostrado há alguns anos em um estudo de laboratório conduzido pelo Centro Médico Universitário Georgetown e a Associação Americana de Pesquisa do Câncer. A pesquisa mostrou que o risco e malefícios atribuídos às comidas gordurosas afetaram não só os pais, mas também passou por até duas gerações depois. Mesmo que esses descendentes fizessem uma dieta saudável eles correriam o mesmo risco de ter problemas de saúde como se tivessem tido uma má alimentação. Tudo isso devido aos pais, que não cuidaram da alimentação.
 
Poucos adultos escolhem os seus parceiros para reprodução baseado na qualidade do seu histórico genético. É muito difícil se ouvir: “Você come junk food? Acho que não vai dar certo”. Um homem e uma mulher são escolhidos de longe por sua beleza, qualidade de pele, tamanho, peso e etc. São poucos os homens e mulheres que acham que uma boa nutrição importe. Na verdade talvez essa seja uma das últimas coisas que passa pela suas cabeças na hora de escolher alguém para montar uma família.
 
Claro que muitos homens ainda não sabem que a má alimentação pode ser a causa do seus problemas de fertilidade. Depois que tais problemas começam a aparecer é necessário algum tipo de tratamento, muitas vezes esse tratamenté é através do uso de medicamentos como o Gonal. Se trata de um medicamento indicado para homens adultos, Gonal estimula a produção de espermatozoides e faz uma terapia para tratamento de homens com  hipogonadismo hipogonadotrófico congénito ou adquirido concomitante com gonadotropina coriónica humana (hCG).
 
Carina Xavier