Teste do Olhinho: Qual a importância?


Especialista esclarece a importância do exame e seus benefícios

 

Após o nascimento, o bebê passa por uma série de exames, ainda na maternidade, que são extremamente importantes para avaliar a saúde do recém-nascido e prevenir possíveis complicações. Entre os exames realizados no bebê está o Reflexo vermelho, conhecido popularmente como “teste do olhinho”, que é capaz de detectar qualquer alteração que possa causar obstrução no eixo visual e uma possível cegueira.

A oftalmologista Rosa Maria Graziano, presidente do Departamento de Oftalmologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo, explica que o teste do olhinho é um exame simples, rápido e indolor, que consiste na identificação de um reflexo vermelho, que aparece quando um feixe de luz ilumina o olho do bebê.

“O exame deve ser feito em penumbra, e com o oftalmoscópio colocado a aproximadamente um metro dos olhos da  criança, observando-se o Reflexo Vermelho dos dois olhos simultaneamente. Se for notado um reflexo diferente entre os olhos, a ausência do reflexo ou a presença de um reflexo branco-amarelado, esta criança deve ser avaliada pelo oftalmologista com urgência”.

De acordo com a especialista, a criança não nasce sabendo enxergar e sua visão vai se desenvolvendo assim como as outras funções como sorrir, falar, engatinhar e andar. Contudo, para que isso aconteça, as estruturas do olho precisam estar normais, principalmente as que são transparentes.

“Uma criança com visão sub normal tem seu desenvolvimento motor e a capacidade de comunicação prejudicados  porque gestos e condutas sociais são aprendidas através da visão. “

A especialista explica que a obrigatoriedade da realização do Teste do Reflexo Vermelho nas maternidades é regulamentada por leis e a sua normatização deve ser difundida entre pediatras e oftalmologistas. “O exame oftalmológico incluindo a pesquisa do Reflexo Vermelho, incorporado ao exame do recém nascido permitirá o diagnóstico precoce de patologias como a catarata congênita e o glaucoma congênito que tratados antes do período crítico (primeiros 3 meses de vida) têm resultados muito melhores”, completa.

A oftalmopediatra recomenda que o Teste do Olhinho seja feito pelo pediatra logo que o bebê nasce. Caso não seja possível, o exame deve ser feito logo na primeira consulta de acompanhamento. Além disso, é necessário o acompanhamento de um pediatra que irá avaliar a evolução da visão da criança. “Se o pediatra encontrar algum problema, vai encaminhar a criança para avaliação do oftalmologista”.

De acordo com a especialista, a participação conjunta de pediatras e oftalmologistas na luta para a prevenção da cegueira infantil é fundamental pois todo o processo de desenvolvimento da visão está na dependência do estímulo visual.

“A criança necessita ‘ver’ para desenvolver a sua visão. Até que a acuidade visual esteja totalmente estabelecida, qualquer obstáculo à formação de imagens nítidas em cada olho pode levar a um mau desenvolvimento visual que se tornará irreversível se não tratado em tempo hábil e uma boa acuidade visual é importante no desenvolvimento físico e cognitivo normal da criança”, conclui.

Se o seu filho ainda não fez este teste, fale com seu pediatra!

 

Dra Rosa Maria Graziano

Doutora em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Presidente do Departamento de Oftalmologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo e Primeira Secretaria da Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica do Conselho Brasileiro de Oftalmologia.

Fontes:

http://www.cbo.com.br/novo/medico/pdf/jo/ed134/2.pdf

http://www.cbo.com.br/cbo/sociedades/pediatria/artigos/recomend_reflex_red_rop.pdf 

https://www.sbp.com.br/campanhas/em-andamento/teste-do-olhinho/

Vanessa Ferreira