Poluição sonora e as consequências para a saúde


A exposição excessiva a altos níveis de ruído pode causar a perda auditiva

Buzinas, ambulâncias, carros de som, obras, sirenes... Quem mora em grandes centros urbanos, está acostumado a ouvir esse tipo de barulho todos os dias. Contudo, o que pode parecer inofensivo, pode ser extremamente prejudicial a nossa saúde.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), todo e qualquer ruído que ultrapasse a casa dos 55 decibéis (unidade de medida do som) já pode ser considerado prejudicial à saúde. Porém, Os níveis de barulho das grandes cidades chegam a 80 decibéis.

Assim como as outras funções do nosso corpo, a capacidade auditiva diminui conforme envelhecemos, mas alguns hábitos podem contribuir para o envelhecimento precoce da audição. A exposição prolongada a altos ruídos, o uso de fones de ouvido com o som muito alto e até o uso de cotonetes pode causar a perda auditiva, antes da chegada da terceira idade, fase em que essa diminuição é até esperada.

Segundo estudo realizado pelo “Coping with Noise”, revelado este mês em Portugal, cerca de um terço da população mundial está exposta a níveis excessivos de ruído, o que pode aumentar em 30% a probabilidade de sofrer perdas auditivas. A pesquisa também mostra que os principais agentes dos ruídos excessivos são o trânsito, as conversas entre pessoas, a música ambiente e os transportes públicos.

O médico otorrinolaringologista Alexandre Colombini explica que, muitas vezes, é impossível fugir de tais ruídos, pois podemos estar expostos a eles na nossa própria casa, no ambiente de trabalho, ou até quando estamos presos no trânsito. Mas, algumas medidas preventivas são importantes para evitar a surdez:

-  Em shows ou eventos como formula 1, onde o som chega a passar de 120 decibéis, evite ficar próximo ou na linha das caixas de som. Se possível leve protetores auriculares ou coloque algodão no ouvido para abafar um pouco o som.

- Cuidado com os fones de ouvido, tente ouvir num volume agradável. Evite sons altos.

- Nunca use hastes flexíveis com algodão na ponta (os famosos “cotonetes). O uso destes pode levar ao acúmulo de cera e a acidentes horríveis como a perfuração do tímpano.

- Tenha uma alimentação adequada e faça exercícios físicos para ter o organismo funcionando bem.

-  Tenha sempre sua saúde em dia e trate de outras doenças que podem causar perda de audição, como o diabetes, a hipertensão e a arteriosclerose.

- Sempre procure a ajuda de um médico para uma avaliação clinica e audiométrica.

                   

“A exposição continua e prolongada a altos níveis de ruído pode levar a lesão das celular nervosas do ouvido ocasionando perda de audição. Níveis de ruído acima de 50-65 decibéis já são prejudiciais para nossos ouvidos. Entretanto, padrões tem sido estabelecidos do ponto de vista legal e trabalhista para determinar o quanto e por quanto tempo uma pessoa pode ser exposta a ruídos contínuos sem prejuízo a saúde”.

Nível de ruído
dB(A)

Limite de exposição
diária aconselhável

85

8 Horas

86

7 Horas

87

6 Horas

88

5 Horas

89

4 Horas

100

1 Hora

110

15 Minutos

115

07 Minutos

O médico esclarece que a perda de audição em idosos, chamada presbiacusia é um processo natural do envelhecimento. Contudo, além do envelhecimento, outros fatores externos como exposição a ruídos, otites, uso de cotonete e até uma alimentação inadequada, com abuso de sódio, açúcar e cafeína, podem contribuir para a diminuição da audição.

O especialista explica que os problemas de audição, inicialmente, podem se manifestar como uma queda de audição levando a dificuldade para entender o que as outras pessoas estão dizendo, e zumbido. O ideal é fazer consultas periódicas com seu otorrino de confiança, é muito mais fácil prevenir do que tratar!!

 

Dr. Alexandre Colombini

Médico especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia - ABORL

Fontes:

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia – ABORL

http://deficienciaauditiva.com.br/

Vanessa Ferreira