Os benefícios da acupuntura no tratamento da dor


A terapia milenar apresenta benefícios comprovados

A acupuntura é uma modalidade terapêutica da medicina tradicional chinesa. A técnica consiste na aplicação de agulhas, moxas e outros instrumentos para liberar substâncias químicas no organismo com efeito analgésico e/ou antiinflamatório e assim, aliviar dor e outros sintomas decorrentes de determinadas doenças. A aplicação é feita em pontos específicos do corpo, chamados de pontos energéticos, que ficam localizados, geralmente, próximos às estruturas onde existem muitas terminações nervosas como feixes musculares, tendões, ligamentos e articulações.

O acupunturista e fisiatra Dr. Marcus Yu Bin Pai explica que a terapia deriva do conceito de que uma doença é resultado de uma interrupção no fluxo Qi ("energia vital circulante do corpo"), e dos desequilíbrios das forças do Yin e do Yang. “Acreditava-se que o Qi fluía ao longo de caminhos dentro do corpo humano, que seriam os meridianos. De acordo com a Medicina Chinesa, há mais de 20 meridianos, e mais de 2000 pontos de acupuntura que são encontrados ao longo deles”.

                                

Reconhecida desde 1995 no Brasil como especialidade médica, a acupuntura é capaz de tratar 41 doenças, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Dentre elas estão afecções físicas, distúrbios orgânicos, desordens mentais e psicossomáticas, afecções de pele, afecções de pulmão, fígado, intestino, entre outras. 

O acupunturista ressalta que recentemente, vem sendo publicado na literatura diversos resultados preliminares positivos do efeito da acupuntura no tratamento de diversas condições como ansiedade e depressão leve, ansiedade crônica relacionada ao estresse pós-traumático, abuso de substâncias, insônia, e várias outras condições onde a ansiedade e estresse também fazem parte do quadro de sintomas, como asma, dor músculo-esquelética e pós acidente vascular cerebral.

De acordo com esses estudos, o tratamento da acupuntura pode beneficiar os pacientes com distúrbios de estresse e ansiedade, por regular níveis de neurotransmissores e hormônios como a serotonina, noradrenalina e a dopamina, que alteram a neuroquímica do sistema nervoso central, além de diminuir os níveis de citocinas inflamatórias relacionadas à ansiedade, diminuir as mudanças relacionadas ao estresse na bioquímica e comportamento, e estimular a produção de opióides endógenos que afetam o sistema nervoso autonômico.

“Pesquisas básicas e de neuroimagem funcional indicam que a acupuntura poderia agir em áreas cerebrais conhecidas por reduzir a sensibilidade, a dor e o estresse, e promover relaxamento e desativação da região ‘analítica’ cerebral, que é a região responsável pelas preocupações excessivas e ansiedade”.

O especialista explica que os avanços conceituais tem levado a uma nova compreensão dos pontos da acupuntura, seus mecanismos, e como ocorreria a transmissão de sinal pelo corpo. “Estudos mostraram que sinais neurológicos de acupuntura podem ser, pelo menos parcialmente, transmitidos pelo sistema nervoso. Os cientistas acharam muitos efeitos locais e centrais da acupuntura sobre os neurônios e o funcionamento do cérebro. Outras teorias envolvem a sinalização mecânica através do tecido conjuntivo, a transmissão neurovascular pelo óxido nítrico, dentre outras”.

“A medicina chinesa não é um sistema estático. Assim, no Oriente e no Ocidente, há muitos médicos e pesquisadores que estão trabalhando em uma integração da abordagem tradicional e o entendimento científico moderno”.

De acordo com o médico qualquer pessoa em qualquer faixa etária pode se beneficiar da acupuntura, exceto os pacientes com infecções generalizadas da pele. Além disso, a terapia também pode ser feita durante a gravidez, para reduzir os enjoos e náuseas, desde que se evite a aplicação nos pontos que atuam como dilatadores do colo do útero e facilitadores da contração uterina. Entretanto, o médico explica que ainda se trata de assunto polêmico, a não ser nas vésperas do trabalho de parto, quando a acupuntura pode auxiliar sua aceleração.

O especialista afirma que o método é extremamente seguro, desde que seja realizado por um profissional habilitado. “Profissionais sem qualificação ou conhecimento de anatomia colocam seus pacientes em risco e podem levar a possível perfuração de órgãos; profissionais sem conhecimentos no diagnóstico correto colocam em risco os pacientes através de uma terapia ineficiente, levando ao agravamento dos sintomas, dor, vertigem e assim por diante”.

“A acupuntura é uma técnica invasiva que exige conhecimentos sobre antissepsia, anatomia e fisiologia humanas, fundamentais para evitar acidentes e complicações que eventualmente possam ocorrer, tais como inoculação de microorganismos ou dano a alguma estrutura nobre. No entanto, esse tipo de risco é extremamente baixo”.

O médico ressalta que, apesar de sua crescente popularidade, os riscos ocorrem raramente e a acupuntura, como um método de tratamento, continua sendo um dos procedimentos mais seguros da contemporaneidade.

 

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP 158074

Médico Fisiatra e Acupunturista

Colaborador do Grupo de Dor da Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Contato: http://www.hong.com.br

Fontes:

http://www.hong.com.br/efeitos-gerais-da-acupuntura/

http://www.centrobrasileiro.com.br/biblioteca/13/data/acupuntura_constitucional_dos_cinco_elementos.compressed.pdf

Leia também: Livre-se da enxaqueca com a acupuntura

Vanessa Ferreira