Insuficiência Renal Crônica


A insuficiência renal crônica é uma doença caracterizada pelo mau funcionamento dos rins, condição na qual os rins perdem gradualmente, de forma progressiva e irreversível...

Insuficiência Renal Crônica

Os rins são órgãos que desempenham diversas funções essenciais para o organismo, como a filtração do sangue, ou seja, eles atuam na eliminação de toxinas e demais substâncias que estejam acumuladas em acesso no organismo. Os rins são capazes de filtrar aproximadamente 190 litros de sangue a cada 24 horas. 

Insuficiência Renal Crônica o que é?

A insuficiência renal crônica é uma doença caracterizada pelo mau funcionamento dos rins, condição na qual os rins perdem gradualmente, de forma progressiva e irreversível a capacidade de efetuar suas funções básicas, tal como a filtração do sangue, levando ao acúmulo excessivo de líquidos e resíduos no organismo. A doença pode prejudicar diversas funções e sistemas do organismo, tais como: produção de glóbulos vermelhos, saúde dos ossos, pressão arterial, produção de vitamina D e outros.

Insuficiência Renal Crônica sintomas?
 
Os sintomas da insuficiência renal crônica nos primeiros estágios da doença são silenciosos e costumam a se manifestar com maior evidência quando a doença já está em fase avançada. Isto ocorre porque a doença se agrava lentamente ao decorrer do tempo, devido a essa lentidão os sintomas não aparecem até que o funcionamento dos rins esteja inteiramente comprometido.  Dentre os sintomas mais comuns estão:

Primeiros estágios da doença:

- Dores de cabeça;
- Perda de apetite;
- Coceira generalizada e pele seca;
- Mal estar e cansaço;
- Urina com espuma;
- Redução do peso involuntária;
- Inchaço na face, pés ou pernas;
- Urina com modificações na sua cor (escura ou avermelhada);
- Náuseas;
- Redução ou aumento da quantidade de urina.

Os sintomas citados acima podem estar relacionados à doença renal. É importante consultar o médico caso apresente quaisquer sintomas ou sinais da doença. 

Insuficiência Renal Crônica causas?

Há uma ampla categoria de doenças que podem acometer os rins e causar a perda gradual ou permanente de suas funções, entre elas, a hipertensão e a diabetes se destacam, pois causam danos contínuos e prolongados ao rim. Além  destas duas doenças, é importante destacar as seguintes doenças:

- Infecções urinária de repetição;
- Doença policística renal;
- Gota grave;
- Mieloma múltiplo;
- Amiloidose;
- Glomerulonefrites;
- Cálculos urinários de repetição;
- Consumo excessivo de medicamentos anti-inflamatórios;
- Lúpus;
- Hipertensão;
- Diabetes mellitus.
 
Estas são algumas das principais doenças que mais levam à insuficiência renal crônica.
Caso você seja portador de uma das condições citadas acima, é essencial acompanhar com regularidade os níveis da sua creatinina, bem como fazer exames de urina simples e ureia (dosagem) anualmente. 

Insuficiência Renal Crônica diagnóstico?

O profissional especialista nos rins é o médico nefrologista. Em caso de suspeita de insuficiência renal crônica, é provável que o nefrologista solicite os seguintes exames, pois eles analisam o funcionamento dos rins:

- Depuração de creatinina;
- Níveis de creatinina;
- Nitrogênio ureico no sangue – BUN. 

Insuficiência Renal Crônica tratamento?

A insuficiência renal crônica é uma doença prolongada nos rins que causa a falência renal gradual e irreversível, portanto, a doença que não tem cura. Porém, o tratamento pode contribuir para impedir o avanço da IRC e até mesmo ajudar a desacelerar a perda da função renal. 

Para que o tratamento responda às expectativas, é importante o correto controle da pressão arterial. 

Somente nos estágios finais da doença, ou seja, quando os rins estão completamente debilitados e comprometidos, acarretando o não funcionamento dos rins, a hemodiálise é indicada como tratamento. Além da hemodiálise, a diálise peritonial ou transplante renal também podem ser indicados.

Há alguns medicamentos existentes no mercado que auxiliam no tratamento das conseqüências acarretadas pela IRC, assim como a anemia em pacientes com insuficiência renal crônica dialíticos. O fármaco Hemax – Eritropoetina fabricado pelo laboratório Biosintética, é um deles. 

A eritropoetina, também chamada de EPO, é um hormônio glicoprotéico produzido especialmente nos rins, cuja função principal é o controle da produção de células vermelhas do sangue – eritropoiese, que leva ao aumento da quantidade de eritrócitos ou glóbulos vermelhos do sangue. Entretanto, quando os rins não estão saudáveis, ou seja, funcionamento plenamente, uma das funções que ele pode prejudicar é justamente a produção de glóbulos vermelhos, levando ao quadro da anemia. O medicamento Hemax – Eritropoetina ajuda na correção do quadro de anemia, além de ajudar a diminuir a quantidade de transfusões de sangue. 

Não consuma nenhum medicamento sem orientação e indicação médica. 

 

Karina Silva Farias