É possível superar a timidez?


Vencer o obstáculo da timidez pode aumentar a autoestima e proporcionar novas oportunidades

Para muitas pessoas, a timidez é mais do que um traço de personalidade, ela se torna uma limitação em diversas situações como falar em público, fazer uma apresentação, fazer amigos ou simplesmente paquerar, chegando a ser paralisante. Como driblar esses problemas?

O psicólogo Thiago de Almeida, especialista no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso, explica que a timidez está diretamente relacionada com o medo de rejeição. “A ansiedade sobre o desempenho, a inibição e os pensamentos derrotistas são comuns nas pessoas tímidas”.

“A timidez pode ser definida como a tensão e a inibição em situações sociais e, portanto, vai depender de vários fatores: falta de iniciativa, baixa autoestima, frustração (na vida amorosa e profissional), traumas na infância, dentre outros fatores. Se você se encaixa em algumas dessas alternativas, é bom começar a reagir”.

O especialista explica que, segundo uma das correntes do pensamento da psicologia, a timidez deve ter tido alguma função positiva para a evolução da humanidade, caso contrário não teria resistido como um traço da personalidade. “Alguns teóricos da psicobiologia associam a timidez ao instinto de lutar ou fugir dos nossos primeiros ancestrais. Dessa forma, há muito tempo, tal instinto teria ajudado os primeiros homens e mulheres a reagirem aos predadores aos quais poderiam sucumbir quase que imediatamente”.

Almeida explica que  essa teoria se aplica ao comportamento humano dos dias atuais. “Poderíamos substituir um feroz mamute ou um esfomeado dinossauro por um chefe rabugento, uma mulher bonita na balada, ou mesmo um novo colega de trabalho. Sentimos que essas pessoas talvez possam nos prejudicar de alguma forma, então somos cautelosos quando estamos perto delas”. O psicólogo acredita que, a exemplo dos primeiros homens, sentimos que qualquer aproximação perigosa para a nossa integridade moral ou física, deve ser evitada e, então, é isso o que fazemos.

Pessoas tímidas podem ser facilmente confundidas com introvertidas. Porém, de acordo com o especialista, os introvertidos “possuem as habilidades conversacionais e a autoestima necessárias para terem êxito na interação com outras pessoas, mas simplesmente optam por ficar sozinhas. Por outro lado, os tímidos querem desesperadamente que os outros os notem e os aceitem, mas parece que lhes faltam a habilidades essenciais para gerenciar as interações sociais”, explica.

É possível deixar de ser tímido?

O psicólogo esclarece que é necessário avaliar até que ponto a timidez está influenciando a sua vida. “A timidez pode ser nociva quando a pessoa se prejudica, quando perde oportunidades, emprego, amigos, paqueras e quando existe um sofrimento nas diversas situações sociais”.

“Então é bom pensarmos, se a sua timidez faz com que você perca oportunidades de tentar novos contatos e até manter novos relacionamentos amorosos; se você deixa de se engajar em comportamentos que poderiam ser gratificantes em seu cotidiano, é o momento de procurar ajuda”.

A timidez não pode ser considerada doença, pois não figura no sistema de classificação clínica. Contudo, o psicólogo esclarece que é possível driblar a insegurança e sentir mais confiança. “Se você tem o desejo de ser mais aberto a novas experiências e ser mais afetuoso com as pessoas, o que não consegue devido a timidez, talvez seja essa o momento de começar a pensar em estratégias de enfrentamento para essas situações e, por que não buscar ajuda profissional para lidar com essa sua dificuldade?”, questiona.

O psicólogo aconselha buscar a ajuda de um terapeuta, caso a timidez esteja trazendo prejuízos em sua vida social. “Junto com ele (a) você poderá descobrir os motivos que a levam a temer certas situações e antecipar eventos negativos, que fazem com que você se retraia ainda mais, e trabalhar esses motivos, a fim de que você se solte mais em situações de interação ou exposição com as pessoas”, aconselha.

“Procure como meta conversar com uma pessoa de cada vez. Isso exigirá certo esforço da tua parte, mas garanto: valerá à pena. Você será bem-sucedido (a) ser houver confiança em si mesmo (a). Pouco importa se é uma simples afirmação ou pergunta como, por exemplo, "ah, hoje tá frio, né?", ou então, “como você está?”. Não se preocupe se você cometer alguma gafe ao falar, ria do fato, e prossiga com a conversa”.

De acordo com o psicólogo, é bom saber também que:

(1)  Você não é a única a passar por isso;

(2)  É bom reavaliar a maneira como encara a si mesmo;

(3)  Existem parceiros que preferem pessoas menos extrovertidas;

(4)  Existem profissões que não precisam ter muito contato com pessoas;

(5)  Há pessoas tímidas cercadas de amigos e há pessoas tímidas solitárias.

(6)  Não espere perfeição de si mesmo.

Mitos e verdades sobre a timidez:

“O tímido tem um olhar distorcido sobre a realidade que o cerca”

VERDADE - A timidez pode predispor a alterar os raciocínios que tem a respeito de sua realidade. Uma vez isolados e repensando mais vezes sobre alguns assuntos que os intimidam, os tímidos permitem que seus medos e sentimentos desconfortáveis cresçam e se espalhem. Como não há ninguém por perto para corrigi-los em sua lógica imperfeita, os tímidos se abandonam ao sabor de seus sentimentos e pensamentos errôneos e muitas vezes hiperdimensionados.

“As pessoas nascem tímidas?”

MITO - Tampouco se pode dizer que exista um gene preditor para a timidez que tenha sido identificado. No entanto, existem alguns bebes que interagem mais do que os outros, mas nem mesmo isso serve de preditor para antever como tal criança se comportará uma vez que se tornar adulta. Muito depende da criação e das experiências de vida que essa pessoa possa vir a ter.

“A timidez traz consigo o abuso do álcool e das drogas como facilitadores sociais”

VERDADE - Há estudos que mostram que adolescentes tímidos se sentem mais pressionados pelos colegas a consumir álcool e drogas do que adolescentes não tímidos. Além disso, por causa do efeito desinibidor do álcool e de algumas drogas, algumas pessoas podem recorrer a tais substâncias para facilitar o seu entrosamento social. Com a utilização prolongada de tais substâncias, seus usuários podem se tornar dependentes das mesmas.

 “As pessoas nascem tímidas?”

MITO - Tampouco se pode dizer que exista um gene preditor para a timidez que tenha sido identificado. No entanto, existem alguns bebes que interagem mais do que os outros, mas nem mesmo isso serve de preditor para antever como tal criança se comportará uma vez que se tornar adulta. Muito depende da criação e das experiências de vida que essa pessoa possa vir a ter.

“Existe cura para a timidez?”

MITO - Não existe uma terapia, ou ainda, uma cura mágica para a timidez porque ela, conforme anteriormente mencionado, não é uma doença, assim como não é um defeito de personalidade que deva ser consertado. Ainda assim, você pode superar a timidez de acordo com o seu próprio ritmo e não precisa ser clinicamente diagnosticado e tratado – mesmo que você acredite que o seu caso é mais grave do que o de qualquer outra pessoa. Na pior das hipóteses, a timidez é uma fonte de desconforto que se origina das escolhas que você mesmo faz.

“Apenas os extrovertidos são pessoas felizes”

MITO -  Talvez o mito mais poderoso seja o de que somente pessoas sociáveis são felizes e têm uma vida satisfatória. As pessoas que aceitam esse mito acreditam que a timidez os está impedindo de viver a vida que deveriam. Existem pessoas tímidas satisfeitas com o que têm e com o que são. 

 

Thiago de Almeida, psicólogo especialista no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso e autor de vários livros sobre o assunto.

 

 

 

Fontes:

http://www.escolapsicologia.com/como-superar-a-timidez/

http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/12957-superar-a-timidez-ajuda-a-aumentar-a-autoestima

Vanessa Ferreira