Nova opção de tratamento para a Hepatite C


Estudos avançados demonstraram que o daclatasvir, substância ativa do Daklinza, é eficaz, mesmo em doença hepática mais avançada. Seu mecanismo de ação permite a cura da doença em até 90% dos casos

Daklinza 60mg é um medicamento antiviral administrado por via oral, que faz parte de uma nova geração de medicamentos para as hepatites virais, sendo o primeiro remédio para tratamento oral da hepatite C aprovado no Brasil.

Estudos avançados demonstraram que o daclatasvir, substância ativa do Daklinza, é eficaz, mesmo em doença hepática mais avançada. Seu mecanismo de ação permite a cura da doença em até 90% dos casos, enquanto os atuais têm perspectiva de cura de 40%. Além disso, o medicamento Daklinza produz menos efeitos colaterais se comparado a medicamentos da mesma classe e oferece a possibilidade de um tratamento mais rápido (de 12 a 24 semanas), o que reduz a chance de desistência do tratamento e melhor qualidade de vida ao paciente.

Outra vantagem é que o medicamento pode ser utilizado em pacientes com HIV positivo e por aqueles esperam ou realizaram transplantes, o que não é viável com o uso dos outros medicamentos disponíveis atualmente.

Daclatasvir como funciona?

Daclatasvir medicamento é uma substância que inibe pan-genotípico do complexo NS5A, uma proteína do vírus da Hepatite C, responsável pela multiplicação do vírus. Sua administração é indicada em combinação com outras substâncias como a Alfapeginterferona/ribavirina e Sofosbuvir.
Em combinação com a Alfapeginterferona/ribavirina, Daclatasvir é indicado para a infecção por HCV de genótipo 1 e 4. Daklinza em combinação com sofosbuvir é indicado para infecção por HCV de genótipo 1 e 2.
 
Tratamento da Hepatite C:

A hepatite C é uma doença causada pelo vírus HCV transmitido por meio do contato com sangue contaminado. A transmissão pode ser feita pela transfusão de sangue contaminado, pelo uso compartilhado de seringas e objetos de higiene pessoal (alicates de unha e lâminas de barbear), além de instrumentos usados em tatuagem e perfuração para piercings. Existem outras formas de contaminação como por meio de relação sexual ou de forma perinatal (da mãe infectada para o filho durante a gravidez).

De acordo com dados do Ministério da Saúde, existem cerca de 3 milhões de pessoas infectadas com o vírus da Hepatite C e cerca de 70% dos casos evoluem para hepatite crônica. Esses dados reforçam a importância de realizar exames de sangue anualmente, que irá detectar a presença do vírus HCV, entre outras enfermidades que possam surgir.

Vanessa Ferreira