Câncer de mama tem cura


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), as chances de cura da doença diagnosticada em estágio inicial chegam em 95%

Câncer de mama tem cura

O Câncer de mama é uma doença que afeta mulheres em todo o mundo e o diagnóstico positivo é impactante. Embora o tratamento para o câncer de mama tenha evoluído muito nos últimos anos, ainda há uma elevada taxa de mortalidade, pois em boa parte dos casos a doença é diagnosticada em fase avançada.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), as chances de cura da doença diagnosticada em estágio inicial chegam em 95%. Além disso, se o tratamento iniciar em estágio inicial, a chance de a outra mama ser atingida é de 0,6% ao ano. Esses dados reforçam a importância dos testes preventivos para uma detecção precoce.

Existem dois testes preventivos eficazes, que possibilitam a detecção precoce em caso de câncer de mama: o exame clinico da mama (palpação) e a mamografia, que devem ser feitos todos os anos, principalmente a partir dos 40 anos, idade em que ocorre uma maior incidência da doença.

    Além desses exames clínicos, existe a opção do autoexame, que pode ser feito pela própria mulher e possibilita um maior conhecimento sobre o próprio corpo e a percepção de qualquer alteração que possa ocorrer, como um nódulo (caroço), acompanhado ou não de dor, que é o principal sintoma do câncer de mama.

Após a detecção de qualquer alteração na mama, a mulher deve procurar o seu médico ginecologista imediatamente, mesmo que tenha feito os exames clínicos recentemente. Quanto antes a descoberta do tipo de tumor, melhor para a paciente e para a eficácia do tratamento.

Para o tratamento do câncer de mama o médico deve avaliar criteriosamente o tipo de tumor e o estadiamento da doença, ou seja, o quanto ela evoluiu. Só após a análise ele poderá indicar a melhor estratégia de tratamento. Geralmente, quando o câncer é detectado em estágio inicial, o tratamento se torna menos agressivo e traumático para o paciente.

A boa notícia é que as perspectivas para o câncer de mama melhoraram muito e tratamentos mais invasivos, como a temida mastectomia (retirada total ou parcial da mama), só são indicados em casos mais avançados da doença.

O diagnóstico de câncer de mama não é nada fácil, mas, é importante ter em mente, durante todo o tratamento, que o câncer de mama tem cura e que os avanços nos tratamentos possibilitaram mais esperança para que está na luta contra o câncer. E você, já fez seu autoexame este mês?

Vanessa Ferreira