Câncer de mama o que é?


As mamas são glândulas cuja função principal é a produção de leite, que se forma nos lóbulos e é conduzido até os mamilos por pequenos canais chamados ductos.

Câncer de mama o que é?

As mamas são glândulas com a principal função de produzir leite, que se forma nos lóbulos e é conduzido até os mamilos por pequenos canais chamados ductos. Quando as células da mama começam a se dividir de forma desordenada e descontrolada, pode resultar em um tumor maligno, ocasionando o câncer de mama.

Câncer de mama em homens:

O Câncer de mama é uma doença que acomete mais as mulheres do que os homens. Estudos mostram que a proporção de câncer de mama em homens e mulheres é de 1:100. Desta forma, para cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem terá a doença. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, cerca de uma a cada 12 mulheres terão um carcinoma nas mamas até os 90 anos de idade.

Além disso, mulheres que não tiveram filhos ou tiveram o primeiro filho após os 35 anos, que não amamentaram, que fizeram uso de reposição hormonal (estrógeno e progesterona associados), que menstruaram muito cedo (antes dos 12 anos) e entraram mais tarde na menopausa (acima dos 50 anos), podem ser pacientes de risco.

Câncer de mama sintomas:

O principal sintoma da doença costuma ser a presença de um nódulo único, não doloroso e endurecido na mama. Além disso, outros sintomas devem ser levados em consideração como, deformidade e/ou aumento da mama, a retração da pele ou do mamilo, os gânglios axilares aumentados, vermelhidão, edema, dor e a presença de líquido nos mamilos. É importante ressaltar que qualquer sintoma diferente nas mamas, deve-se procurar o médico com urgência para realizar todos os exames necessários.

Câncer de mama fatores de risco:

Os principais fatores de risco para o câncer de mama são:

-Histórico familiar;

-Idade (mulheres entre 40 e 69 anos);

-Menstruação precoce (a relação entre a menstruação e câncer de mama está no fato de que é no início desse período que o corpo da mulher passa a produzir quantidades maiores do hormônio estrógeno, em quantidades alteradas facilita a proliferação desordenada e o desenvolvimento de células mamárias, resultando em um carcinoma).

-Menopausa tardia (enquanto a menstruação não acabar, os ovários continuam a produzir o estrógeno, deixando as glândulas mamárias mais expostas ao crescimento de células anormais e desordenadas).

-Reposição hormonal (muitas mulheres optam pela reposição hormonal para reduzir os sintomas da menopausa, porém, os níveis de estrógeno podem aumentar e causar um carcinoma na mama).

-Colesterol alto (o colesterol é a gordura que serve de matéria prima para a produção do estrógeno, mulheres com altos níveis de colesterol tendem a produzir esse hormônio em maior quantidade, aumentando o risco de desenvolver o câncer de mama).

-Câncer de mama anterior (pacientes que já tiveram câncer de mama têm mais chances de apresentar outro tumor).


Câncer de mama tem cura?

A partir do momento que é diagnosticado e tratado em sua fase inicial, ou seja, quando o nódulo é menor que 1 centímetro, é possível que as chances de cura do câncer de mama cheguem a até 95%.  Tumores que medem esse tamanho são considerados como muito pequenos para serem detectados ou perceptíveis através da palpitação ou autoexame, entretanto podem ser detectados por meio da mamografia. Diante desses fatos, é essencial a realização da mamografia uma vez por ano a partir dos 40 anos de idade.

Câncer de mama no Brasil:

De acordo com dados coletados da Estimativa sobre Incidência de Câncer no Brasil, 2014-2015, de autoria do Inca – Instituto Nacional de Câncer, o Brasil terá 576 mil novos casos de câncer por ano. Desses, 57.120 mil serão tumores de mama.

Câncer de mama autoexame:

Câncer de mama tratamento:

Existem várias formas de tratamento para o câncer de mama, os mais comuns são: quimioterapia (uso de medicamentos para destruir as células cancerígenas), radioterapia (radiação), hormonoterapia (medicação que bloqueia a ação dos hormônios femininos), cirurgia (remoção do tumor) ou mastectomia (retirada completa da mama). Em alguns casos, podem ser combinados com outras formas de tratamentos, como o uso de medicamentos.

O uso de medicamentos em conjunto com outras formas de tratamentos é muito comum e eficaz em pacientes com câncer de mama. Um exemplo é o medicamento Tamoxifeno, que auxilia no tratamento do câncer de mama, abrandando os sintomas.

Tamoxifeno o que é?

Tamoxifeno é um medicamento que possui em sua fórmula a substância ativa citrato de tamoxifeno. É um medicamento administrado por mulheres que já sofreram com o câncer de mama, auxiliando para que o câncer não se desenvolva novamente. Tamoxifeno medicamento age impedindo a ligação do estrógeno em células cancerígenas, esse bloqueio inibe o crescimento das células anormais.

Conforme a bula do medicamento Tamoxifeno, pacientes que apresentam hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula, mulheres grávidas ou em período de amamentação não devem fazer uso desse medicamento.

É de extrema importância consultar o seu médico para esclarecer todas as dúvidas quanto à administração, posologia e reações adversas que o Tamoxifeno medicamento pode causar. Além disso, o medicamento Tamoxifeno precisa de receita, sendo assim, antes de fazer uso desse medicamento consulte o seu médico.

 

 

Vanessa Ferreira