Bem Vindo a Sare Drogarias

Televendas

(11) 2021-6464

FLUXENE 10MG C/28

Fabricante: Eurofarma

Código do Produto: SKUP1948

De R$ 34,66 Por R$ 32,38

R$ 30,76 no pagamento à vista.

Venda proibida via internet. Portaria 344 de 1998 - ANVISA.

Compre através do nosso televendas - (11)2021-6464

Restrito
bandeiras de cartões

DESCRIÇÃO DO PRODUTO

Fluxene Indicações de Fluxene O Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina é indicado no tratamento com Fluxene da depressão maie da bulimia nervosa. Depressão mai- Um episódio depressivo maiimplica em humdeprimido ou disfórico, proeminente e persistente, que usualmente interfere com a atividade diária (aproximadamente todo dia durante pelo menos duas semanas), e deverá incluir ao menos quatro dos seguintes oito sintomas: alteração no apetite, alteração no sono, agitação psicomotora ou retardamento, perda de interesse nas atividades normais ou diminuição no apetite sexual, cansaço excessivo, sentimento de culpa ou inutilidade, redução na capacidade de pensar ou concentrar e tentativa ou vontade de cometer suicídio. Paciente de ambulatório - A eficácia do cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina foi demonstrada em estudos clínicos com duração de 5 a 6 semanas em pacientes deprimidos de ambulatório, cujos diagnósticos correspondiam a categoria de distúrbio depressivo maido manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais, 3º edição, revisada (DSM-III-R) Pacientes Hospitalizados - A ação antidepressiva do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em pacientes deprimidos hospitalizados não foi ainda adequadamente estudada. Tratamento com Fluxene a longo prazo - A eficácia do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina para tratamento com Fluxene a longo prazo, ou seja, pmais de 5 ou 6 semanas, não foi sistematicamente avaliada em pesquisas clínicas controladas. Dessa maneira, o médico que prescrever o uso do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina pperíodos prolongados deve reavaliar periodicamente a utilidade em longo prazo da droga para cada paciente. Bulimia Nervosa - É caracterizada pelos seguintes critérios do (DSM-III-R) a) - Episódios recorrentes de comer excessivo (consumo rápido de uma grande quantidade de alimento em um discreto período de tempo); b) - Um sentimento de perda de controle sobre o hábito de comer durante o comer excessivo); c) - Recorrer regularmente a indução de vômito, ao uso de laxativos ou diuréticos, dieta rigorosa, ou jejum ou exercícios vigorosos para evitar ganho de peso; d) - Uma média mínima de dois episódios de comer excessivo psemana ppelo menos três meses; e) - Uma preocupação persistente com a estética corporal e o peso. Pacientes de ambulatório - Em dois estudos clínicos controlados, duplo cegos e randômicos com pacientes portadores de bulimia nervosa, o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina demonstrou significante diminuição de atividade de comer excessivo e vomitar quando foi comparado com o placebo. Pacientes hospitalizados - A eficácia do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em pacientes bulímicos hospitalizados não foi ainda adequadamente estudada. Tratamento com Fluxene a longo prazo - A eficácia do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina pra uso a longo prazo, isto é, pmais de 8 semanas não foi sistematicamente avaliada em estudos controlados. Portanto, o médico que eleger o uso do cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina para períodos longos deverá reavaliar periodicamente a utilidade da droga a longo prazo para cada paciente. Efeitos Colaterais de Fluxene Comumente observadas - As reações adversas mais comumente observadas com o uso do cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e não observadas de maneira semelhante com placebo foram: queixas relacionadas com o sistema nervoso, incluindo ansiedade, nervosismo e insônia; sonolência e fadiga ou astenia; tremor; sudorese; queixas, queixas gastrintestinais, incluindo anorexia, náusea e diarréia; tontura ou sensação de cabeça leve. Associadas com a interrupção do tratamento com Fluxene - 15% de aproximadamente 4.000 pacientes que receberam cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina nas pesquisas clínicas de pré-lançamento, nos Estados Unidos, interromperam o tratamento com Fluxene devido a uma reação adversa. As reações mais comuns que causaram interrupção incluem: Psiquiátricas (5,3%) principalmente nervosismo, ansiedade e insônia; Digestivas (3%) principalmente náusea. Sistema nervoso (1,6%) principalmente tontura; organismo como um todo (1,5%); principalmente astenia, dde cabeça e pele (1,4%); principalmente erupção e prurido. Como Usar (Posologia) de Fluxene Depressão: Tratamento com Fluxene Inicial - Nas pesquisas controladas, realizadas para avaliar a eficácia do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina, foram administradas aos pacientes, pela manhã, doses que variaram de 20 a 80 mg/dia. Estudos recentes sugerem que 20mg/dia podem ser suficientes para se obter uma resposta antidepressiva satisfatória. Conseqüentemente, uma dose de 20 mg/dia administrada pela manhã é recomendada como dose inicial. Um aumento de dose pode ser considerado após diversas semanas se nenhuma melhora clínica fobservada. Doses acima de 20mg/dia devem ser administradas, divididas em duas vezes (isto é, pela manhã e ao meio dia) e não devem exceder a dose máxima de 80mg/dia. Como outros antidepressivos, o efeito máximo pode demorar até quatro semanas ou mais de tratamento com Fluxene. Como muitos outros medicamentos, uma dose menou menos freqüente deve ser usada em pacientes com insuficiência renal e/ou hepática. Uma dose menou menos freqüente deve também ser considerada para pacientes tais como: idosos, com doenças concomitante ou que estejam usando medicação múltipla. Manutenção, Continuação e Extensão do Tratamento com Fluxene - Não há dados disponíveis que permitam precisar quanto tempo o paciente deve permanecer em tratamento com Fluxene com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. É geralmente consenso entre os psicofarmacologistas (cerca 1987) que episódios agudos de depressão requerem vários meses de terapia farmacológica contínua. É onhecido se a dose de antidepressivo necessária para induzir a remissão é idêntica a dose necessária para manter e/ou sustentar a eutimia. Bulimia Nervosa - Nos estudos clínicos controlados, usados para suportar a eficácia do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina no tratamento com Fluxene da bulimia nervosa, foram administradas aos pacientes doses fixas diárias de 20 ou 60 mg de cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina ou placebo. Os pacientes que receberam doses de 60 mg de Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina mostraram diminuições significativamente maiores dos episódios bulímicos (comer excessivo e vomitar) comparado com os pacientes que receberam doses de 20mg ou placebo, conseqüentemente, a dose de 60 mg/dia é a recomendada. Para qualquer indicação, a dose de Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não deve exceder a 80 mg/dia. Contra-Indicações de Fluxene O cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina é contra-indicado em pacientes hipersensíveis a essa droga. Tem havido relatórios de reações graves e algumas vezes fatais (tais como hipertermia, rigidez, mioclonia, instabilidade autonômica com possíveis flutuações rápidas dos sinais vitais e variações no estado mental, incluindo agitação extrema progredindo ao delírio e coma) em pacientes que estão recebendo Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em combinação com inibidda MAO ou interromperam recentemente com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e iniciaram o tratamento com Fluxene com um inibidda MAO. Alguns casos, apresentam aspectos semelhantes à síndrome malígna, pneurolépticos. Portanto, Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não deve ser usado em combinação com um inibidda MAO ou dentro de 14 dias da suspensão do tratamento com Fluxene com um inibidda MAO. Desde que o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e seu maimetabólito tem meias vidas de eliminação muito longas, deve-se deixar um intervalo de pelo menos cinco semanas após a suspensão do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e o início do tratamento com Fluxene com um inibidda MAO. Abuso e Dependência de Fluxene Dependência Física e Psíquica - O Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não foi sistematicamente estudado em animais ou seres humanos quanto ao seu potencial de abuso, tolerância ou dependência física. Apesar das pesquisas clínicas de pré-lançamento com o cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não revelarem qualquer tendência para uma síndrome de abstinência ou qualquer alteração de comportamento, essas observações não foram sistemáticas e não é possível predizer com base nesta experiência ada em que extenção uma droga ativa no SNC será mal usada, desviada e/ou constituir hábito, uma vez comercializada. Conseqüentemente, os médicos devem avaliar cuidadosamente os pacientes com relação à história de abuso de drogas e fazer abuso do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina (pex: desenvolvimento de tolerância, aumento de dose e alteração de comportamento na procura da droga). Advertências de Fluxene Durante os testes de pré-lançamento, nos Estados Unidos, o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina foi administrado a mais de 5.600 pacientes e aproximadamente 4% desenvolveram erupção de pele e/ou urticária entre estes casos. Quase 1/3 foi retirado da pesquisa devido a estas reações e/ou sinais e sintomas clínicos associados com a erupção; achados clínicos relatados incluem febre, leucocitose, artralgia, edema, síndrome do tunel do carpo, distúrbio respiratório, linfoadenopatia, proteinúria e elevação leve da transaminase. A maioria dos pacientes se recuperou prontamente após interrupção do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e/ou tratamento com Fluxene adicional com anti-histamínicos ou corticosteróides e todos os pacientes se recuperaram completamente. Nos estudos clínicos de pré-lançamento, dois pacientes desenvolveram uma grave doença cutânea sistêmica, em nenhum deles houve um diagnóstico inequívoco, porém, um foi considerado como tendo uma vulite leucocitoblástica e o outro uma síndrome amativa grave, que foi considerada como uma vulite ou eritema multiforme, diversos outros pacientes apresentaram síndromes sistêmicas sugerindo doença do soro. Desde a introdução do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina, reações sistêmicas, possivelmente relacionadas com vulitese, desenvolveram em pacientes com erupção cutânea. Apesar dessas reações serem raras, podem ser graves, envolvendo o pulmão, rins e fígado. Foi relatada a ocorrência de morte relacionada com essas reações sistêmicas. Foram relatadas reações anafilactóides, incluindo broncoespasmo, angioedema e urticária isoladas ou combinadas. Raramente foram reportadas reações pulmonares, incluindo processos inflamatórios de histopatologia variável e/ou fibrose. Essas reações ocorreram com dispnéia como único sintoma precedente. Se essas reações sistêmicas e erupções de pele têm uma causa comum ou são devidas a etiologias e/ou processos patogênicos diferentes é onhecido. Além disso, uma base imunológica específica para essas reações diversas não foi ainda identificada; após o aparecimento de erupção cutânea ou de outra reação alérgica para a qual uma alternativa etiológica não pode ser identificada, o cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina deve ser suspenso. Composição de Fluxene Cada cápsula contém: Fluxene - Fluxene - Fluoxetina - (cloridrato) 20mg Excipientes 1 cápsula Excipientes: Lactose, aerosil, amido e estearato de magnésio. Conduta Na Superdosagem de Fluxene Sinais e sintomas: náuseas e vômitos, convulsões foram os sintomas predominantes, outros sintomas incluíram agitação, inquietação, hipomania e outros sinais de excitação do snc. exceto duas mortes que aconteceram com superdosagem, todas os outros casos relatados recuperaram - sem sequelas. tratamento com Fluxene - estabelecer e manter a ventilação, assegurar oxigenação adequada, carvão ativado que pode ser usado com sorbitol, pode ser tão ou mais eficaz, do que vômitos ou lavagem e deve ser considerado no tratamento com Fluxene de superdosagem. é recomendada a monitoração dos sinais cardíacos e vitais, junto commedidas sintomáticas gerais e de suporte. baseados nas experiências em animais, que podem não ser relevantes para o paciente,convulsões induzidas pelo cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina que não cessarem espontaneamente podem responder ao diazepam. não há antídotos específicos para o cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. devido ao grande volume de distribuição do cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina, a diurese forçada, diálise, hemoperfusão ou exanguino-transfusão provavemente não serão benéficas. no tratamento com Fluxene de superdosagem deve ser considerada a possibilidade do envolvimento de outras drogas. o médico deverá considerar o contato com um centro de controle de intoxicação em qualquer tratamento com Fluxene de superdosagem. Atenção: este produto é um novo medicamento e emborapesquisas realizadas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ainda não ritas ou conhecidas. em caso de suspeita de reação adversa o médico responsável deve ser notificado. Contra-indicações e Precauções de Fluxene Antes da administração deve-se verificar se o paciente apresenta antecedentes alérgicos à droga. O Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina pode interferir na capacidade de julgamento, pensamento e ação, os pacientes devem evitar dirigir veículos ou operar máquinas, até que tenham convicção de que o desempenho não foi afetado. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento com Fluxene. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE. Cuidados de Administração de Fluxene Para obter o máximo de eficácia utilize a medicação no horário e dose exata estipulada pelo seu médico. Siga a orientação de seu médico respeitando sempre os horários,doses e a duração do tratamento com Fluxene. Cuidados de Armazenamento de Fluxene Conservar Fluxene em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C). Proteger da umidade. Gravidez e Lactação de Fluxene Informe ao médico ocorrência de gravidez ou se existe intenção de engravidar na vigência do tratamento com Fluxene ou após o seu término. Informe ao seu médico se está amamentando. Incidência Nas Pesquisas Clínicas Controladas. de Fluxene Depressão - As reações adversas ocorreram em uma freqüência de 1% ou mais entre os pacientes que usaram Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e que participaram em pesquisas controladas, comparando Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina com placebo no tratamento com Fluxene da depressão. Bulimia Nervosa - As reações adversas ocorreram em uma freqüência de 1% ou mais entre os pacientes que usaram Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e que participaram em pesquisas controladas, comparando o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina com placebo no tratamento com Fluxene da bulimia nervosa. Reações adversas infreqüentes são aquelas que ocorrem em 1/100 a 1/1000 pacientes e reações raras são aquelas que ocorrem em menos do que 1/1000 pacientes. Organismo como um todo - Freqüentes: calafrios; infreqüentes: calafrios e febre, cisto, edema da face, sensação de ressaca, dmandibular, mal estar, dno pescoço e dpélvica; raras: abdome dilatado, celulite, hidrocefalia, hiportemia, síndrome LE, monilíase, e doença do soro. Sistema Cardiovular - Infreqüentes: angina pectoris, arritmia, hemorragia, hipertensão, hipotensão, postural, síncope e taquicardia; raras: bloqueio atrioventricular de 1º grau, bradicardia, bloqueio de ramo, isquemia cerebral, infarto do miocárdio, tromboflebite, cefaléia vular e arritimia ventricular. Sistema Digestivo - Freqüentes: aumento no apetite; infreqüentes: estomatite aftosa, disfagia, eructação, esofagite, gastrite, gengivite, glossite, testes de função hepática anormais, melena, estomatite e sede; raras: diarréia com sangue, colecistite, colelitíase, colite, úlcera duodenal, enterite, incontinência fecal, hematemese, hepatite, hepatomegalia, hipercloridria, salivação aumentada, icterícia, fígado dolorido, ulceração na boca, dilatação das glândulas salivares, úlcera gástrica, oloração da língua, edema da língua. Sistema Endócrino - Infreqüentes: hipotiroidismo; raras: bócio e hipertiroidismo. Sistema Hemático e Linfático - Infreqüentes: anemia e linfoadenopatia; raras: tempo de sangramento aumentado, discrasia sangüínea, leucopenia, linfocitose, petéquia, púrpura, velocidade de sedimentação aumentada e trombocitopenia. Metabólico e Nutricional - Freqüentes: perda de peso; infreqüentes: edema generalizado, hipoglicemia, edema periférico e ganho de peso, raras: desidratação, gota, hipercolesterolemia, hiperglicemia, hiperlipemia, reação hipoglicêmica, hiponatremia e anemia pdeficiência de ferro. Sistema Músculo - Esquelético - Infreqüentes: artrite, dóssea, bursite, tenosinovite e espasmos; raras: necrose óssea; condrodistrofia; hemorragia muscular, miosite; osteoporose, fratura patológica e artrite reumatóide. Sistema Nervoso - Freqüentes: pesadelos e agitação; infreqüentes: marcha anormal, síndrome cerebral aguda, acatisia, amnésia, apatia, ataxia, síndrome buco-glossal, estimulação do SNC, convulsão, delírio, despersonalização, ontrole emocional, euforia, alucinação hostilidade, hipercinesia, hipestesia, falta de coordenação, aumento da libido, reação maníaca, neuralgia, neuropatia, reação paranóica, psicose e vertigem; raras: eletroencefalograma anormal, reação anti-social, síndrome cerebral crônica, parestesia circum oral, depressão do SNC, coma, disartria, distonia, síndrome extrapiramidal, hipertonia, histeria, mioclonia, nistagmo, paralisia, diminuição dos reflexos, estupe torcicolo. Sistema Respiratório - Freqüentes: bronquite, rinite, bocejo; infreqüentes: asma; epistaxe, soluço, hiperventilação e pneumonia; raras: apnéia, hemoptise, hipoxia, edema da laringe, edema pulmonar, fibrose/alveolite pulmonar e derrame pleural. Pele e Anexos - Infreqüentes: acne, alopécia, dermatite de contato, pele seca, herpes-simples, erupção máculo - papular e urticária; raras: eczema, eritema multiforme, dermatite fúngica, herpes zoster, hirsutismo, psoríase, erupção purpúrica, seborréia, oloração da pele, hipertrofia da pele, nódulos subcutâneos e erupção vesículo-bolhosa. Orgãos dos Sentidos - Infreqüentes: ambliopia, conjuntivite, dno ouvido, dnos olhos, midríase, fotofobia e tinitus; raras: blefarite, catarata, lesão da córnea, surdez, diplopia, hemorragia ocular, glaucoma, irite, ptose, estrabismo e perda do paladar. Sistema Urogenital - Infreqüentes: ejaculação anormal, amenorréia, dno seio, cistite, disúria, seio fibrocístico, impotência, leucorréia, menopausa, menorragia, distúrbio ovariano, incontinência urinária, urgência, insuficiência na micção e vaginite; raras: aborto, albuminúria, aumento do seio, dispareunia, epididimite, lactação, hematúria, hipomenorréia, calculo renal, metrorragia, orquite, poliúria, pielonefrite, piúria, salpingite, duretral, uretrite, distúrbio do trato urinário, urolitíase, hemorragia uterina, espasmo uterino e hemorragia vaginal. Relatórios Voluntários Após Comercialização - Reações adversas associadas com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina que têm sido recebidas desde o início da comercialização e que podem não ter uma relação causal com a droga incluemseguintes: anemia aplástica, acidente vular cerebral, confusão, discinesia (incluindo pexemplo, um caso de síndrome, buco lingual-mastigatório com relato de protrusão involuntária da língua, em uma paciente de 77 anos após 5 semanas de tratamento com Fluxene com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina, que desapareceu completamente em poucos meses após a interrupção da droga). Equimoses, pneumonia eosinofílica gastrintestinal, hiperprolactinemia, anemia hemolítica de causa imune. Aparecimento de perturbações motoras em pacientes com fatores de risco, incluindo drogas relacionadas com tais eventos e piora de condições pré-existentes de perturbações motoras, reações semelhantes a síndrome malígna pneurolépticos, pancreatite, pancitopenia, idéias suicidas, trombocitopenia, púrpura trombocitopênica, sangramento vaginal após a suspensão da droga e comportamento violento. Informações Técnicas de Fluxene O cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina é um antidepressivo para administração oral. Quimicamente é o cloridrato N Metil 3 fenil-3-[alfa,alfa,alfa, trifluoro-p-tolil) - oxi], propilamina, cuja fórmula é: Farmacologia Clínica. Farmacodinâmica - A ação antidepressiva do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina parece estar ligada à inibição da captação de serotonina nos neurônios do sistema nervoso central. Os estudos com doses clinicamente relevantes no homem demonstraram que o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina bloqueia a captação da serotonina nas plaquetas. Estudos em animais sugerem também que o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina é um inibidmais potente na captação da serotonina do que da noradrenalina. O antagonismo dos receptores muscarínicos, histaminérgicos e alfa 1-adrenérgicos está hipoteticamente relacionado com os efeitos anticolinérgicos, sedativos e cardiovulares dos antidepressivos tricíclicos clássicos. O Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina liga-se "in vitro" a estes e outros receptores da membrana do tecido cerebral, com intensidade muito mendo que os antidepressivos tricíclicos. Absorção, Distribuição, Metabolismo e Excreção, Biodisponibilidade Sistêmica. No homem após uma dose única de 40mg, foram observadas após 6 a 8 horas concentrações plasmáticas máximas de 15-55 ng/ml do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. O alimento parece não afetar a biodisponibilidade sistêmica do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina, mas pode retardar sua absorção. Assim, o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina pode ser administrado com ou sem alimento. Ligação Protéica - Acima de concentrações variando de 200 a 1000 ng/ml aproximadamente 94,5% do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina está ligada "in vitro" às proteínas séricas humanas, incluindo albumina e alfa 1-glicoxoproteina. A interação entre o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e outras drogas altamente ligadas às proteínas não foi totalmente avaliada, mas pode ser importante (ver Interações Medicamentosas). Metabolismo - O Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina é metabolizado no fígado em norFluxene - Fluxene - Fluoxetina e em outros metabólitos. O único metabólito ativo identificado, a norFluxene - Fluxene - Fluoxetina, é formado pdesmetilação do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. Modelos em animais mostram que a potência e seletividade da norFluxene - Fluxene - Fluoxetina, como inibidda captação de serotonina, são equivalentes a do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. A principal via de eliminação parece ser o metabolismo hepático para inativar os metabólitos que serão excretados pelos rins. Dados Clínicos Relacionados ao Metabolismo/Eliminação - A complexidade do metabolismo do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina tem várias conseqüências que podem afetar potencialmente o seu uso clínico. Acúmulo e Eliminação Lenta - A eliminação relativamente lenta do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina (meia-vida de 2-3 dias) e do seu metabólito ativo norFluxene - Fluxene - Fluoxetina (meia-vida de 7-9 dias) causa acúmulo significante destes princípios ativos durante o uso prolongado. Após 30 dias de administração de 40 mg/dia,concentrações plasmáticas do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina variaram de 91 a 302 ng/ml e de norFluxene - Fluxene - Fluoxetina de 72 a 258 ng/ml. As concentrações plasmáticas do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina foram mais altas do queencontradas nos estudos de dose única, presumivelmente porque o metabolismo do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não é proporcional à dose. Contudo, a norFluxene - Fluxene - Fluoxetina parece ter uma farmacocinética linear. A meia vida média fina, após dose única, foi de 8,6 dias e após dose múltipla foi 9,3 dias. Assim, mesmo que doses fixas sejam administradas aos pacientes,concentrações plasmáticas estáveis só serão atingidas após doses contínuas durante semanas. Contudo, o aumento das concentrações plasmáticas parece ser ado. Especificamente, pacientes recebendo o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina nas doses de 40 a 80 mg/dia, pperíodos de até três anos, exibiram em média concentrações plasmáticas similaresencontradas entre pacientes tratados pquatro ou cinco semanas. As meias vidas de eliminação prolongadas do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e norFluxene - Fluxene - Fluoxetina asseguram que mesmo quando o tratamento com Fluxene é interrompido, o princípio ativo persistirá no organismo psemanas, isto pode ter uma conseqüência potencial, quando houver necessidade de interrupção do tratamento com Fluxene ou quando forem prescritas drogas que possam interagir com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e norFluxene - Fluxene - Fluoxetina. Doença Hepática - Sendo o fígado o principal local de metabolismo, a insuficiência hepática pode afetar a eliminação do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. A meia-vida de eliminação do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina foi prolongada em um estudo de pacientes cirróticos, com uma média de 7,6 dias comparada a 2 e 3 dias em indivíduos sem doença hepática; a eliminação da norFluxene - Fluxene - Fluoxetina foi também retardada com uma duração média de 12 dias para pacientes cirróticos, comparada a 7 a 9 dias em indivíduos normais, isto sugere que o uso do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em pacientes com doenças deve ser conduzido com cuidado. Se o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina fadministrado em pacientes com doenças hepáticas, deverá ser usada uma dose menou com menfreqüência (ver Precauções e Posologia). Doença Renal - Em estudos com dose única, a farmacocinética do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e norFluxene - Fluxene - Fluoxetina foi semelhante entre indivíduos com todos os níveis de insuficiência renal, incluindo pacientes anéfricos em hemodiálise crônica. Contudo, com a administração prolongada, pode ocorrer acúmulo adicional do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina ou de seus metabólitos (possivelmente incluindo alguns ainda não identificados) em pacientes com insuficiência renal grave; neste casos, o uso de uma dose menou com menfrequência é aconselhável (ver precauções). Idade - Os efeitos da idade sobre o metabolismo do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não foram totalmente explorados. A disponibilidade de doses únicas do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em indivíduos idosos saudáveis (acima de 65 anos) não diferiu significativamente daquela dos indivíduos jovens. Entretanto devido a meia vida e a disponibilidade não linear na droga, um estudo de dose única não é adequado para afastar a possibilidade da farmacocinética estar alterada nos idosos, particularmente se eles apresentam doença sistêmica ou estão recebendo outros medicamentos para doenças concomitantes. Ingestão Concomitante Com Outras Substâncias de Fluxene Durante o tratamento com Fluxene com Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina os pacientes não devem tomar alcóol ou outras drogas, inclusive drogas que não necessitam de receitas, sem autorização do seu médico. A absorção do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina é retardada com alimento, mas a quantidade total absorvida não é alterada. Interações Medicamentosas de Fluxene Como acontece com todasdrogas, há possibilidade de ocorrer interação medicamentosa pvários mecanismos, tais como farmacodinâmicos (ver farmacologia clínica acúmulo e eliminação lenta). Triptofano - Cinco pacientes que estavam recebendo cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em combinação com triptofano tiveram reações adversas, incluindo agitação, desassossego e distúrbio gastrintestinal. Inibidores da Monoamino-oxidose-Oxidase - (ver contra-indicações) Outros antidepressivos - Houve aumento de duas vezes nos níveis plasmáticos estáveis de outros antidepressivos quando o cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina foi administrado em combinação com essas drogas (ver farmacologia clinica - acúmulo e eliminação - lenta). Lítio - Houve relatos de aumento e diminuição dos níveis de lítio quando foi usado concomitantemente com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. Casos de toxicidade com lítio foram relatados. Os níveis de lítio devem ser monitorados quando essas drogas são administradas concomitantemente. Clearance do diazepam - A meia vida de diazepam administrado concomitantemente com o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina pode ser prolongada em alguns pacientes (ver farmacologia clínica - acúmulo e eliminação lenta). Efeitos potenciais da coadministração de drogas altamente ligáveisproteínas do plasma - Devido o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina estar firmemente ligado à proteína do plasma, a administração de Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina a um paciente que esteja tomando outra droga que seja firmemente ligada à proteína (pex: Warfarina, Digitoxina) pode causar uma mudança nas concentrações plasmáticas, resultando potencialmente em uma reação adversa. Ao contrário,reações adversas podem resultar do deslocamento do Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina ligado à proteína poutra droga com afinidade maipara ligar-seproteínas (ver farmacologia clínica - Acúmulo e eliminação lenta). Drogas ativas no sistema nervoso central - O risco de usar o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina em combinação com outras drogas ativas no sistema nervoso central não foi sistematicamente avaliado. Conseqüentemente, deve-se ter cuidado se a administração concomitante de Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e tais drogas fnecessária (ver farmacologia clínica - acúmulo e eliminação lenta). Tratamento com Fluxene Eletroconvulsivo - Não há estudos clínicos estabelecendo o benefício do uso combinado do tratamento com Fluxene eletroconvulsivo e o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina. Houve raros relatos de convulsões prolongadas em pacientes usando o Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina e que receberam o tratamento com Fluxene eletroconvulsivo. Interrupção do Tratamento com Fluxene de Fluxene O tratamento com Fluxene com Cloridrato de Fluxene - Fluxene - Fluoxetina não deve ser interrompido a não ser com indicação médica. Prazo de Validade de Fluxene Desde de que observados os devidos cuidados de conservação, o prazo de validade do produto é de 24 meses, contados a partir da data de fabricação impressa em sua embalagem externa. NÃO USE MEDICAMENTO COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. Laboratório de Fluxene Eurofarma Labs. Ltda.

COMENTÁRIOS DOS NOSSOS CLIENTES

7 Comentários

usuário

Preço e facilidades de acesso bons. O prazo de entrega podia ser menor.

04 de Dec

Cristiane

(São Vicente )

usuário

Rapido, pratico e bom preço

04 de Dec

Lara

(Uberlândia )

usuário

Minhas expectativas foram atendidas Obrigada pelo atendimento estou satisfeita

02 de Dec

Sandra

(Castanhal )

usuário

Como sempre,muito bem atendido,pedido chegam rapido,estou muito satisfeito com vcs.um grande abraço e muito obrigado.

02 de Dec

Fernando

(Leme )

usuário

Otima

02 de Dec

Patricia Ribeiro Gaspar

(Cariacica )

usuário

Voltarei a comprar novamente .

02 de Dec

alcione

(POMPEU)

usuário

A entrega um pouco demorada, devido ser pelo correio.

01 de Dec

Fernando

(Ourinhos)